Renan ameaça derrubar indicação de Dilma ao STF

Após infligir derrota ao governo ao anunciar a devolução ao Executivo da MP 669, que reduz o benefício fiscal de desoneração da folha de pagamento de 56 segmentos da economia, presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), indica que quer ser ouvido sobre o nome para a vaga de Joaquim Barbosa antes de ser enviado para sabatina da Comissão de Constituição e Justiça

Plenário do Senado durante sessão deliberativa ordinária.

Mesa: 
senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM);
presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros (PMDB-AL);
senador Zeze Perrella (PDT-MG).

Foto: Moreira Mariz/Agência Senado
Plenário do Senado durante sessão deliberativa ordinária. Mesa: senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM); presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros (PMDB-AL); senador Zeze Perrella (PDT-MG). Foto: Moreira Mariz/Agência Senado (Foto: Roberta Namour)

247 – O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), sinaliza que pode infligir novas derrotas ao governo.

Na sessão desta terça-feira, ele anunciou a devolução ao Executivo da medida provisória editada no último dia 27 que reduz o benefício fiscal de desoneração da folha de pagamento de 56 segmentos da economia (MP 669/2015). O benefício existe desde 2011. Ele observou que não se pode considerar urgente a medida já que a criação ou elevação de tributos têm um prazo de 90 dias para entrar em vigor. Rapidamente, o governo devolveu a proposta em formato de Projeto de Lei com urgência constitucional.

Agora, aliados do peemedebista avisaram ao Palácio do Planalto que o próximo passo pode ser a derrubada do indicado de Dilma Rousseff para a vaga de Joaquim Barbosa no STF (Supremo Tribunal Federal).

Segundo a colunista Vera Magalhães, o presidente da Casa quer ser ouvido sobre o nome antes de ele ser enviado para sabatina da Comissão de Constituição e Justiça.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247