Senador-empresário em prisão domiciliar vai para férias no Caribe; a Lula, Judiciário proibiu ir ao enterro do irmão

Senador-empresário Acir Gurgacz (PDT-DF), condenado a mais de 4 anos por fraudes contra o sistema financeiro e que cumpre pena em regime domiciliar foi autorizado pelo Judiciários a passar férias em resort de Aruba; diária custa, em média, R$ 4 mil; em janeiro, o Judiciário negou a Lula o direito de ir ao velório e enterro do irmão Vavá

(Foto: Reprodução)

247 - O Poder Judiciário autorizou o senador-empresário Acir Gurgacz (PDT-RO), condenado a mais de 4 anos por fraudes contra o sistema financeiro e que cumpre pena em regime domiciliar a passar férias em resort na ilha de Aruba, no Caribe; a diária custa, em média, R$ 4 mil. A viagem está prevista para ocorrer de 17 de julho a 3 de agosto.

O mesmo Poder Judiciário negou a Lula o direito de ir ao velório e enterro do irmão Vavá, que morreu em 29 de janeiro.

Em 2018, Gurgacz foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão baseado em uma denúncia de que teria fraudado um financiamento no Banco da Amazônia e conseguido R$ 525 mil.

Enquanto estiver de férias, Gurgacz pretende se hospedar por 18 dias no Renaissance Aruba Resort & Casino. Uma diária no hotel, no mar do Caribe, custa em média R$ 4 mil, segundo a página do estabelecimento na internet, informam os jornalistas  Marília Marques e Gabriel Luiz

Em 2018, Gurgacz informou à Justiça Eleitoral ter um patrimônio superior a R$ 11 milhões -a declaração não incluiu o valor efefitos de seu império empresarial. Ele é dono do Sistema Gurgacz de Comunicação, de empresas de transporte rodoviário e urbano, além de escolas e faculdades. 

Em 2016, votou a favor do golpe contra a presidente Dilma Roussef; em 2017 votou a favor da "reforma trabalhista"; no mesmo ano,  votou contra a cassação de Aécio Neves no Conselho de Ética do Senado

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247