CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasília

Serrano: 'o povo brasileiro sai derrotado após o STF derrubar a tese da revisão da vida toda'

De acordo com o jurista, 'há um verdadeiro poder desconstituinte no país com relação aos direitos trabalhistas e previdenciários'

Pedro Serrano (Foto: Reprodução/TV 247)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O jurista Pedro Serrano afirmou nesta quinta-feira (21) que a revisão da vida toda deveria continuar no Brasil. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que não deve ser aplicado o recálculo para o recebimento de valores provenientes de aposentadorias.

"Uma grande derrota para nosso povo a derrubada pelo STF da tese da revisão da vida toda, há um verdadeiro poder desconstituinte no país com relação aos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários", afirmou o estudioso em postagem na rede social X, antigo Twitter. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Gastamos quase metade de nosso orçamento público com juros e serviços da dívida, alem de grandes benefícios fiscais ao grande capital, e formas de cálculo previdenciário um pouco mais benéficos a nossos aposentados são tidos como os vilões das contas públicas. Quanto ainda teremos de tempo histórico a frente para que a vida da maioria da humanidade deixe de ser preponderantemente dor, sofrimento e humilhação?", questionou.

De acordo com a revisão da vida toda, aposentados podem optar pelo recálculo da aposentadoria - salários recebidos antes da implementação do Plano Real, em julho de 1994. O aposentado poderia ser beneficiado por uma regra de transição ou pelo regime implantado após a criação do fator previdenciário, criado em 1999 (uma fórmula matemática para definir o valor das aposentadorias). 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO