Sindicatos entregam a Maia carta contra privatização da Eletrobrás

Integrantes do Conselho de Administração da Eletrobrás, Furnas, Chesf, Eletrosul, CGTEE, Amazonas GT, Cepel e Eletronuclear argumentam que a Eletrobrás poderia estar investindo mais. Entretanto, a opção do controlador no momento é priorizar o repasse de dividendos

247 - Integrantes do Conselho de Administração da Eletrobrás, Furnas, Chesf, Eletrosul, CGTEE, Amazonas GT, Cepel e Eletronuclear enviaram nesta sexta-feira, 23, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, uma carta em que criticam a intenção do governo de Jair Bolsonaro de privatizar a estatal.  

Os signatários consideram frágil a ideia de que a Eletrobrás precisa ser capitalizada para crescer. “Uma rápida análise nos seus indicadores de lucro, dividendos e endividamento demonstra que, caso fosse do interesse de sus acionistas, a companhia poderia estar investindo muito mais. Entretanto, a opção do controlador no momento é priorizar o repasse de dividendos”, diz o documento.   

A carta considera “tendenciosa e sensacionalista” a afirmação de que a empresa precisa de R$ 12 bilhões por ano e que esses recursos estariam sendo retirados das áreas de saúde e educação. “O mérito dessa decisão precisa ser discutido com a população”, afirmam os conselheiros.  

Leia o documento na íntegra

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247