Sob os holofotes, Mourão fala em “afastar os extremos e unir o centro”

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse que o presidente Jair Bolsonaro "não tem o anseio mínimo de fazer uma ruptura institucional no nosso país" e que esse sentimento é compartilhado pelas Forças Armadas

Vice-presidente Hamilton Mourão em Brasília 17/04/2020
Vice-presidente Hamilton Mourão em Brasília 17/04/2020 (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Sob atenção de diversos setores políticos do país, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que nem Bolsonaro nem Forças Armadas pretender romper com o tecido democrático neste momento. Ele destacou: “em primeiro lugar, o presidente não tem o anseio mínimo de fazer uma ruptura institucional no nosso país, porque as instituições estão bem. O que há, no nosso país, é uma instabilidade emocional. As pessoas estão muito desacerbadas nas suas ideias, nas suas discussões. As Forças Armadas estão afastadas de qualquer ação dessa natureza, mas tenho que deixar claro que o presidente não tem essa visão em momento nenhum.”

A reportagem da CNN Brasil informa que “o vice-presidente vê uma "parcela de responsabilidade" do governo na atual crise, colocando que o Executivo tem que "buscar mais harmonia". "Temos que deixar de levarmos as ideias a um nível tão de confronto que não haja retorno.”

A matéria ainda sublinha: “Mourão, no entanto, ponderou que considera que o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha se excedido e que a Corte deveria se omitir sobre temas que são prerrogativas do Poder Executivo.”

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247