STF interrompe sessão que pode anular condenação de Lula

Julgamento deve ser retomado ainda hoje. O plenário do STF analisa nestsa tarde o recurso que discute a ordem das alegações finais feitas por réus delatores e não delatores em uma ação penal. A sessão foi interrompida no meio do voto do relator, Edson Fachin, porque ministros marcaram audiências. "Absurdo. É como cirurgião largar operação no meio pra tomar sorvete", criticou a jornalista Helena Chagas

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) interrompeu na tarde desta quarta-feira (25) o julgamento do recurso que discute a ordem de apresentação das alegações finais por parte de corréus colaboradores e não colaboradores em ação penal. A sessão vai ser retomada ainda hoje - o voto de Fachin tem 25 páginas a serem lidas. 

O julgamento tem o poder de anular sentenças da operação Lava Jato, incluindo a do ex-juiz Sérgio Moro que mantém preso há mais de um ano o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

A sessão foi interrompida no meio do voto do relator, ministro Edson Fachin, porque ministros marcaram audiências e alegaram precisar atendê-las. 

Segundo a jornalista Helena Chagas, do Jornalistas pela Democracia, a interrupção é um absurdo, dada a importância da matéria. "Com isso, adiamento à vista: só vai dar pra votar o relator. Absurdo. É como cirurgião largar operação no meio pra tomar sorvete", criticou. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email