Temer articula para manter tucano na relatoria da denúncia

Michel Temer está articulando pesado para garantir que o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) permaneça como relator da denúncia contra ele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara; Bonifácio integra o grupo do senador afastado Aecio Neves (PSDB-MG), principal interlocutor de Temer no PSDB, e não participou da votação na CCJ da primeira denúncia contra Temer, mas foi a favor de arquivar o pedido de investigação contra o presidente no plenário

Michel Temer está articulando pesado para garantir que o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) permaneça como relator da denúncia contra ele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara; Bonifácio integra o grupo do senador afastado Aecio Neves (PSDB-MG), principal interlocutor de Temer no PSDB, e não participou da votação na CCJ da primeira denúncia contra Temer, mas foi a favor de arquivar o pedido de investigação contra o presidente no plenário
Michel Temer está articulando pesado para garantir que o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) permaneça como relator da denúncia contra ele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara; Bonifácio integra o grupo do senador afastado Aecio Neves (PSDB-MG), principal interlocutor de Temer no PSDB, e não participou da votação na CCJ da primeira denúncia contra Temer, mas foi a favor de arquivar o pedido de investigação contra o presidente no plenário (Foto: José Barbacena)

Brasília 247 -  Michel Temer está articulando pesado para garantir que o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) permaneça como relator da denúncia contra ele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

O blog da jornalista Andréia Sadi, no G1, apurou que a situação da relatoria da denúncia foi um dos principais temas das conversas entre Temer e advogados na sexta-feira, em São Paulo.

Bonifácio integra o grupo do senador afastado Aecio Neves (PSDB-MG), principal interlocutor de Temer no PSDB, e não participou da votação na CCJ da primeira denúncia contra Temer, mas foi a favor de arquivar o pedido de investigação contra o presidente no plenário.

"Preocupado com o ambiente na Câmara, o presidente quer garantir um relatório favorável já na primeira discussão na CCJ, evitando um relatório paralelo, como ocorreu na primeira denúncia contra ele", afirma Andréia Sadi.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247