Temer perde mais uma e não poderá processar Joesley por calúnia

Juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista; anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado; de acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF; e que por isso não tinha intenção de caluniar o presidente

Juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista; anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado; de acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF; e que por isso não tinha intenção de caluniar o presidente
Juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista; anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado; de acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF; e que por isso não tinha intenção de caluniar o presidente (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 - O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista.

Anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado.

De acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF. E que por isso não tinha intenção de caluniar o peemedebista. Temer pode recorrer ao  Tribunal Regional Federal da 1ª região contra a decisão do juiz. 

Outra ação, no âmbito civil, corre contra Joesley, solicitada também por Temer. O peemedebista quer o ressarcimento por danos morais das acusações que sofreu. Essa ação tramita no Tribunal de Justiça do DF (TJDFT).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247