Temer perde mais uma e não poderá processar Joesley por calúnia

Juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista; anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado; de acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF; e que por isso não tinha intenção de caluniar o presidente

Juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista; anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado; de acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF; e que por isso não tinha intenção de caluniar o presidente
Juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista; anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado; de acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF; e que por isso não tinha intenção de caluniar o presidente (Foto: Aquiles Lins)

Brasília 247 - O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, negou abertura de processo por calúnia e difamação movido por Michel Temer contra o empresário Joesley Batista.

Anunciada por Temer como resposta às acusações de que é "chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil", feitas por Joesley na revista Época, a ação não convenceu o magistrado.

De acordo com o despacho do juiz, Joesley apenas repetiu na entrevista o que havia dito na delação premiada aprovada pelo MPF. E que por isso não tinha intenção de caluniar o peemedebista. Temer pode recorrer ao  Tribunal Regional Federal da 1ª região contra a decisão do juiz. 

Outra ação, no âmbito civil, corre contra Joesley, solicitada também por Temer. O peemedebista quer o ressarcimento por danos morais das acusações que sofreu. Essa ação tramita no Tribunal de Justiça do DF (TJDFT).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247