TSE liberou há dez meses acesso ao código-fonte dos sistemas usados nas urnas eletrônicas

Até agora, a CGU, o MPF, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o Senado tiveram acesso ao código-fonte de sistemas do TSE usados em eleições

www.brasil247.com -
(Foto: ABR)


247 - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberou, em outubro de 2021, o acesso das Forças Armadas ao código-fonte das urnas. Tradicionalmente, a fiscalização dos códigos-fontes acontecia nos seis meses antes das eleições. De acordo com informações publicadas nesta terça-feira (2) pelo portal Uol, até o momento, a Controladoria-Geral da União (CGU), o Ministério Público Federal (MPF), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o Senado Federal fiscalizaram o código-fonte. 

Representantes do Partido Liberal, de Jair Bolsonaro, e o Partido Verde estiveram na TSE no ano passado, mas não fiscalizaram os códigos.

>>> Governo Bolsonaro pede ao TSE acesso ao código-fonte das urnas eletrônicas em ofício "urgentíssimo"

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o Uol, o PTB, aliado de Bolsonaro, terá acesso ao código-fonte nesta semana e a Polícia Federal tem previsão de visitar o tribunal entre 22 e 26 de agosto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro vem acusando sem provas o sistema eleitoral brasileiro de não ter segurança. Ele defende a atuação das Forças Armadas na apuração do resultado das eleições de outubro. A oposição ao governo no Congresso Nacional denuncia tentativa de golpe se ele for derrotado. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email