Vasco e Corinthians ficaram no empate

Partida válida pelo Campeonato Brasileiro fecha rodada dupla no Mané Garrincha; no sábado, Flamengo e Grêmio se enfrentaram no Mané

BRASÍLIA,DF,25.08.2013:BRASILEIRÃO/VASCO E CORINTHIANS - O jogador Alexandre Pato do Corinthians durante a partida entre Vasco RJ e Corinthians SP válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2013, no Estádio Mané Garrincha em Brasília (DF), neste domingo
BRASÍLIA,DF,25.08.2013:BRASILEIRÃO/VASCO E CORINTHIANS - O jogador Alexandre Pato do Corinthians durante a partida entre Vasco RJ e Corinthians SP válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2013, no Estádio Mané Garrincha em Brasília (DF), neste domingo (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Portal Brasília na Copa

Brasília, 25 de agosto de 2013 – O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha reuniu 21.827 torcedores na partida entre Vasco x Corinthians, neste domingo (25/8). Equilibrado, o jogo terminou empatado em 1 x 1. Nos primeiros 45 minutos, o domínio do jogo foi do Corinthians, que abriu o placar nos primeiros minutos, com gol do atacante Guerrero. No segundo tempo, o Vasco voltou determinado e conseguiu o empate. Quem marcou foi o centroavante André.

O jogo encerrou a rodada dupla na arena brasiliense, que ontem recebeu Flamengo x Grêmio. A renda da partida deste domingo foi de R$ 2.070.800. O casal de servidores públicos, Renato e Mara Abreu, ambos de 40 anos, levaram o filho Lucas, 5 anos, pela primeira vez ao estádio. Corinthiana, Mara vibrou ao lado do marido e do pequeno Lucas, que são vascaínos. “A rivalidade fica só em campo. Para nós é tudo alegria”, garantiu Renato.

Apesar de ser torcedor do Atlético-MG, o comerciante Daniel Campos, 49 anos, fez questão de ir ao estádio com os amigos, em sua 6ª partida. “Eu quero ver gol. Gosto do futebol, da alegria, dos lances bonitos. O Galo já tem uma vaga na Libertadores, agora eles é que precisam correr atrás”, brincou Daniel, se referindo ao Vasco e ao Corinthians.

Acessibilidade – A funcionária pública Maria Luiza, 65 anos, foi ao jogo com o marido Antônio dos Santos, 73 anos, que é tetraplégico e estava ansioso para assistir ao time do coração, o Vasco. “A acessibilidade é muito boa, não tivemos problemas para entrar no estádio. Os elevadores e as rampas atenderam bem”, elogiou Maria Luiza, que ainda não conhecia o Mané Garrincha.

O pequeno Caio Franco, 9 anos, que também é cadeirante, gostou do lugar reservado para ele na arquibancada inferior. Fã número 1 do Vasco, ele aprovou a vista que teve de seu jogador preferido, Juninho Pernambucano. “É muito lindo”, disse o estudante. Segundo o avô de Caio, o aposentado Douglas Franco, 67 anos, o acesso no interior do estádio é excelente, mas a área externa ainda precisa de reparos. “Aqui dentro é ótimo, com elevadores, rampas e um banheiro próximo. Lá fora a brita atrapalha um pouco, tem que melhorar”, avaliou Douglas.

Organizadas – Durante o intervalo da partida, uma briga causada pela torcida organizada do Corinthians provocou confusão na arquibancada superior. O tumulto foi contido pela Polícia Militar. Quatro representantes da Gaviões da Fiel foram detidos e encaminhados à 5ª Delegacia de Polícia. O monitoramento realizado pelas câmeras internas da arena foi fundamental para orientar a atuação dos policiais e identificar os baderneiros.

Ao final, três policiais ficaram feridos e um torcedor passou mal. “Foram realizados diversos acordos sobre como seria a chegada, o posicionamento e a saída, e houve isolamento das torcidas. Mas, infelizmente, os grupos não cumpriram o Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Ministério Público do DF”, afirmou o secretário adjunto de Segurança Pública, Paulo Roberto Oliveira.

Agora, o Ministério Público fará um levantamento das informações para avaliar o caso e aplicar as medidas judiciais cabíveis. “Como houve desrespeito ao Estatuto do Torcedor, pode ser cogitada a separação física das torcidas nos próximos jogos, sem descartar a possibilidade de proibir o acesso desses grupos ao estádio”, informou o promotor de Justiça do MPDFT, Nísio Tostes.

Paz nas torcidas – Para o empresário José Zago, 66 anos, que compareceu à arena com um grupo de 18 pessoas entre corinthianos e vascaínos, as torcidas precisam se conscientizar. “A integração entre os torcedores é muito importante, tem que conviver em harmonia. As famílias têm que voltar a frequentar os estádios, trazer suas crianças. Afinal, futebol é diversão, esporte e cultura”, afirmou Zago, ao lado do neto Pedro de Oliveira, 8 anos, que nunca tinha entrado num estádio de futebol. “Achei muito legal e bonito. Gostei de tudo”, ressaltou o estudante.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email