VLT só depois da Copa

Ministério Público recomenda que obra não seja feita através de licitações emergenciais; governo acatará a decisão, mas garante que o VLT será construído independente de estar disponível para a Copa do Mundo

Brasília 247 – Decisão conjunta do Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) recomendou que o governo do Distrito Federal não utilize o regime diferenciado de contratações (RGC) nas obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Em nota, o governo informou que “o VLT é um modal de transporte coletivo, incluído e aprovado pelo Plano Diretor de Transporte Urbano, do qual Brasília e o DF não podem prescindir. Realizar esta obra é, portanto, parte de uma decisão política que este governo já tomou, independentemente dos prazos estarem associados ou não com a realização da Copa do Mundo de Futebol de 2014”.

O cronograma inicial apontava que as obras do VLT deviam ter começado em julho de 2010 e concluídas em março deste ano. As obras foram suspensas pela Justiça e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) cinco vezes antes da anulação do contrato pela 7ª Vara de Fazenda Pública do DF, em 27 de abril do ano passado.

A obra do VLT que está inclusa na Matriz de Responsabilidade da Copa é apenas o Trecho Um (que liga o Aeroporto de Brasília à Asa Sul). O plano Diretor de Transporte Urbano prevê que o veículo leve sobre trilhos integre quatro regiões do Distrito Federal ao sistema de transporte coletivo.

Com informações do G1; Correio Braziliense e BandNews FM.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247