“Vocês são capangas de milicianos”, diz Pimenta sobre base de Bolsonaro

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), reafirmou hoje (2) a importância da criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades da Operação Lava Jato e criticou o medo da base de apoio do governo Jair Bolsonaro em relação à iniciativa. “Faziam discurso de que representavam a ‘nova política’, mas são é capangas de milicianos, porta-vozes de bandidos”, provocou o líder petista

(Foto: LULA MARQUES - Ag, PT)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do PT Na Câmara - O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), reafirmou hoje (2) a importância da criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades da Operação Lava Jato e criticou o medo da base de apoio do governo Jair Bolsonaro em relação à iniciativa. “Faziam discurso de que representavam a ‘nova política’, mas são é capangas de milicianos, porta-vozes de bandidos”, provocou o líder petista.

As afirmações de Pimenta foram feitas a propósito do mais novo escândalo envolvendo a Lava Jato, com a prisão, no Rio de Janeiro, de seis servidores da Receita Federal, um deles Marco Aurélio da Silva Canal, supervisor nacional da Equipe Especial de Programação da Lava Jato — grupo responsável por aplicar multas aos acusados da operação por sonegação fiscal. A Justiça determinou o bloqueio de R$ 13,8 milhões em bens do suspeito.

Palestras

Pimenta qualificou como “muito grave” o caso, já que Canal recebia informações sigilosas da Lava Jato “para vender proteção a criminosos, extorquir bandidos”. O líder ironizou o fato de Canal — assim como o procurador-chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol – ter-se especializado também em dar palestras, “com um método inovador de combate à corrupção”.

Segundo Pimenta, mais uma denúncia envolvendo a Lava Jato reforça a necessidade da CPI. Ele lembrou que os procuradores da Lava Jato, em Curitiba, tinham se apropriado de R$ 2,5 bilhões oriundos da Petrobras, por intermédio de um acordo misterioso com os Estados Unidos. Os recursos eram para uma fundação privada que seria gerida por eles, o que poderia lhe garantir enriquecimento pessoal via “palestras até o fim da vida”, segundo Pimenta. O Supremo Tribunal Federal interditou a manobra.

Ataques da Lava Jato ao Congresso

Para o líder do PT, o Congresso Nacional, “atacado e enxovalhado mais de uma vez pelos meliantes da Lava Jato” não deve ser acovardar diante das ameaças dos lavajateiros, pois 80% dos ataques são via robôs.

Pimenta provocou os integrantes da base do governo que usam costumeiramente um discurso moralista de combate à corrupção: “Não estão agora horrorizados com os auditores que faziam parte de um esquema criminoso na Lava Jato?”, indagou o líder. “Essa moral seletiva nos envergonha”, acrescentou, destacando a importância da abertura de uma CPI para investigar os métodos criminosos do ex-juiz Sérgio Moro e de outros integrantes da Lava Jato.

Para Pimenta, o Congresso deve ir fundo nas investigações para apurar suspeitas de esquemas de favorecimentos e enriquecimento pessoal de integrantes da Lava Jato. Ele provocou os membros da base de Bolsonaro: “Você têm medo da CPI das Fake News, do Queiroz, do sargento com a cocaína e dos auditores da Receita?”

O líder petista observou que a sucessão de escândalos envolvendo a Lava Jato – com as revelações do site The Intercept Brasil e seus parceiros na mídia, e agora o livro de memórias do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot – leva a uma só conclusão: “Logo, logo vão cair outros, não vai demorar para ver toda essa turma de hipócritas sentada no banco dos réus. Lava Jato era uma farsa e hoje têm (os membros da base do governo) vergonha de defendê-la”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247