Wyllys denuncia manobra de Cunha na Câmara

Deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) alerta para "rumores que correm pela Casa" de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), provavelmente quebrará o acordo de líderes e colocará uma nova matéria sobre o financiamento de campanhas em votação, após ter sido derrotado na noite de ontem; "Cunha e seus asseclas, derrotados, ainda não se deram por vencidos. A intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara! Não podemos baixar nossas guardas, pois, como bem se vê, a prática é rasteira! Precisamos ficar [email protected] também à eventual mudança de postura dos deputados: Se votarem com Cunha hoje, caso ele consiga, de fato, colocar a matéria em pauta, é indício de que participaram de tenebrosas transações!", publicou o parlamentar nas redes sociais

Deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) alerta para "rumores que correm pela Casa" de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), provavelmente quebrará o acordo de líderes e colocará uma nova matéria sobre o financiamento de campanhas em votação, após ter sido derrotado na noite de ontem; "Cunha e seus asseclas, derrotados, ainda não se deram por vencidos. A intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara! Não podemos baixar nossas guardas, pois, como bem se vê, a prática é rasteira! Precisamos ficar atent@s também à eventual mudança de postura dos deputados: Se votarem com Cunha hoje, caso ele consiga, de fato, colocar a matéria em pauta, é indício de que participaram de tenebrosas transações!", publicou o parlamentar nas redes sociais
Deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) alerta para "rumores que correm pela Casa" de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), provavelmente quebrará o acordo de líderes e colocará uma nova matéria sobre o financiamento de campanhas em votação, após ter sido derrotado na noite de ontem; "Cunha e seus asseclas, derrotados, ainda não se deram por vencidos. A intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara! Não podemos baixar nossas guardas, pois, como bem se vê, a prática é rasteira! Precisamos ficar [email protected] também à eventual mudança de postura dos deputados: Se votarem com Cunha hoje, caso ele consiga, de fato, colocar a matéria em pauta, é indício de que participaram de tenebrosas transações!", publicou o parlamentar nas redes sociais (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – Depois da derrota do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com a derrubada da proposta do sistema eleitoral majoritário, o 'distritão', e da proposta que transformava em norma constitucional o financiamento de campanhas com doações privadas e pessoas físicas, na noite de ontem, o deputado pode quebrar o acordo de líderes e colocar uma nova matéria em votação sobre o financiamento eleitoral.

A denúncia foi feita pelo deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ), que citou, nas redes sociais, "rumores que correm pela Casa". "A intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara! Não podemos baixar nossas guardas, pois, como bem se vê, a prática é rasteira!", escreveu Wyllys.

O deputado alertou ainda: "Precisamos ficar [email protected] também à eventual mudança de postura dos deputados: Se votarem com Cunha hoje, caso ele consiga, de fato, colocar a matéria em pauta, é indício de que participaram de tenebrosas transações!", escreveu o parlamentar.

Segundo ele, a nova proposta teria apenas uma "sutil diferença": "permitir a doação destas empresas aos partidos – e não mais diretamente às campanhas". "Isto, na prática, é basicamente a mesma coisa", diz ele.

PUBLICIDADE

Leia abaixo a íntegra do texto:

Cunha e seus asseclas, derrotados na sua intenção de inscrever na Constituição a prática do financiamento de empresas às campanhas políticas, ainda não se deram por vencidos. Os rumores que correm pela Casa são de que provavelmente irão quebrar o acordo de líderes e colocar uma nova matéria em votação, ainda hoje, com uma sutil diferença: permitir a doação destas empresas aos partidos - e não mais diretamente às campanhas -, o que, na prática, é basicamente a mesma coisa.

PUBLICIDADE

A intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara, e não podemos baixar nossas guardas, pois, como bem se vê, a prática é rasteira!

Precisamos ficar [email protected] também à eventual mudança de postura dos deputados - se votarem com Cunha hoje, caso ele consiga, de fato, colocar a matéria em pauta, é indício de que participaram de tenebrosas transações!

PUBLICIDADE

Fiquemos de olho!

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email