Alvo de perseguição da Lava Jato, Wagner chama Dallagnol de "irresponsável" e "desqualificado"

Senador Jaques Wagner qualificou o procurador e coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, como “irresponsável” e “desqualificado” em função das revelações de que ele teria tentado acelerar ações contra o então recém-eleito senador; objetivo também seria causar um impacto negativo na candidatura presidencial de Fernando Haddad às vésperas do segundo turno

(Foto: Agência Senado | ALESP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador Jaques Wagner (PT-BA) qualificou o procurador e coordenado da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, como “irresponsável” e “desqualificado” em função das revelações feitas pelo site The Intercept que dão conta de que ele teria  tentado acelerar ações contra o então recém-eleito senador visando causar um impacto negativo na candidatura presidencial de Fernando Haddad às vésperas do segundo turno. (Leia no Brasil 247)

“Meu primeiro sentimento foi de nojo por aquilo que eu vi revelado, realmente uma coisa deprimente, que pessoas pagas com dinheiro público, façam um concurso, se comportem daquela forma. Aquilo desqualifica o Ministério Público e acaba confirmando o que muitos já suspeitavam e suspeitam: aquilo tudo tinha endereço certo. Entre a minha eleição de senador e a eleição de Haddad ouviram o coordenador de Haddad e, me perdoem, vem um irresponsável, um desqualificado diz que ‘temos que arranjar alguma coisa para atingir Jaques Wagner’, ou seja, não existe um crime que ele estava investigando, ele estava querendo incriminar uma pessoa e procurando um crime”, afirmou Wagner durante um evento em Salvador realizado nesta terça-feira (2), segundo o site Política Livre

“É o que virou o Brasil, uma polícia política. Não estou dizendo que não houve erro, muita gente presa, que roubou mesmo e se roubou, tem que devolver o dinheiro e ser preso, mas não dá para generalizar e dizer que tem que cassar todo mundo, mas eu estou tranquilo”, completou. Ainda segundo o parlamentar, “algumas das coisas contra mim foram arquivadas, outras estão em curso. Ele (Dallagnol) acabou dando um testemunho daquilo que eu já disse para vários magistrados, que isso é um negócio montado”. 

Wagner também avaliou que as manifestações de apoio ao ex-juiz e ministro da Justiça, Sérgio Moro, realizadas neste domingo (30), “extremamente fracas”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247