Apesar de decisão do STF, juiz emite ordem de despejo contra indígenas na Bahia

Em plena pandemia do coronavírus, o juiz federal Pablo Enrique Carneiro Baldivieso determinou, no dia 20 de agosto, o despejo de famílias pataxó da aldeia Novos Guerreiros

Protesto de indígenas
Protesto de indígenas (Foto: Reprodução/Twitter/Emerson Pataxó)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Apesar da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendendo todas as reintegrações de posse contra indígenas durante a pandemia de Covid-19, o juiz federal Pablo Enrique Carneiro Baldivieso determinou, no dia 20 de agosto, o despejo de famílias pataxó da aldeia Novos Guerreiros. 

A aldeia está localizada no território indígena não homologado Ponta Grande, entre os municípios de Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro, no sul do estado da Bahia. A decisão, do dia 20 deste mês, deu prazo de cinco dias para os indígenas deixarem a área, desejada pelos donos de um clube de aviação que ocupa um terço do território da aldeia.

No dia 26, com o vencimento do prazo, moradores de outras aldeias da Ponta Grande e também da Terra Indígena Coroa Vermelha, realizaram atos na aldeia Novos Guerreiros e na BR-367. Com a decisão do juiz baiano, cerca de 100 indígenas podem ser despejados a qualquer momento.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email