Jorge Solla critica silêncio do Congresso diante de Bolsonaro: 'vão deixar ele tentar de novo?'

Deputado Jorge Solla (PT-BA) classificou como "inaceitável" o silêncio da maioria do Congresso sobre a crise nas Forças Armadas brasileiras

(Foto: Will Shutter - Câmara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) avaliou que a demissão coletiva dos chefes das Forças Armadas, nesta terça-feira (20), abrindo uma crise sem precedentes nas Forças Armadas no País, foi a reação a uma tentativa de golpe por Jair Bolsonaro. 

Pelo Twitter, Jorge Solla classificou como "inaceitável" o silêncio da maioria do Congresso sobre a crise nas Forças Armadas brasileiras. "Bolsonaro tentou dar um golpe, foi derrotado e agora demite quem o impediu. Vão deixar ele tentar de novo? Nobres colegas, tenham hombridade e respeito à Constituição que juraram", afirmou o parlamentar. 


O novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, demitiu nesta terça-feira (30) os três comandantes das Forças Armadas, Edson Leal Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Bermudez (Aeronáutica). 

A reunião dos comandantes das Forças Armadas com o novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, na manhã desta terça-feira, teve momentos de alta tensão. Segundo O Estado de S.Paulo, o mais exaltado no encontro foi o almirante Ilques Barbosa, da Marinha, que teve uma altercação com Braga Netto.

A nota oficial do Ministério da Defesa desmente a versão corrente de que eles teriam colocado seus cargos à disposição,  como é de praxe numa situação dessas. Ao contrário, a nota oficial informou que "os Comandantes da Marinha, do Exército e da  Aeronáutica serão substituídos" e que a "decisão foi comunicada em reunião realizada nesta terça-feira (30), com presença do  Ministro da Defesa nomeado, Braga Netto, do ex-ministro, Fernando Azevedo, e dos  Comandantes das Forças". 

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email