Caso Brunno Matos: acusados em liberdade

Estão em liberdade dois acusados de participação no assassinato de Bruno Mattos, e Diego Polary, apontado como autor das facadas que resultou na morte do advogado; no entendimento da Justiça, os acusados não representam perigo à sociedade; a decisão se deu ao fato de ter expirado o prazo das prisões preventivas dos dois acusados, sem que a promotoria tivesse se manifestado pela prorrogação das mesmas

Estão em liberdade dois acusados de participação no assassinato de Bruno Mattos, e Diego Polary, apontado como autor das facadas que resultou na morte do advogado; no entendimento da Justiça, os acusados não representam perigo à sociedade; a decisão se deu ao fato de ter expirado o prazo das prisões preventivas dos dois acusados, sem que a promotoria tivesse se manifestado pela prorrogação das mesmas
Estão em liberdade dois acusados de participação no assassinato de Bruno Mattos, e Diego Polary, apontado como autor das facadas que resultou na morte do advogado; no entendimento da Justiça, os acusados não representam perigo à sociedade; a decisão se deu ao fato de ter expirado o prazo das prisões preventivas dos dois acusados, sem que a promotoria tivesse se manifestado pela prorrogação das mesmas (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Blog do Domingos Costa - A decisão de colocar em liberdade os dois acusados de participação no assassinato de Bruno Mattos, e ainda manter Diego Polary, apontado como autor das facadas que resultou na morte do advogado, foi do juiz Gilberto de Moura Lima.

O Juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri de São Luis, assinou ontem, ontem quinta-feira 18/12, logo após o fim da primeira audiência de instrução e julgamento do processo que investiga o caso, a revogação das prisões de Humberto Marão e do Vigia João José Nascimento Gomes, ambos vão responder pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio em liberdade.

No entendimento do juiz os acusados não representam perigo à sociedade. A decisão se deu ao fato de ter expirado o prazo das prisões preventivas dos dois acusados, sem que a promotoria tivesse se manifestado pela prorrogação das mesmas.
A família esperava que, além de Humberto Marão e do vigia João José, fosse determinada a prisão de Diego Polary.

"Talvez o promotor tenha sido negligente ao não pedir a prorrogação das prisões dos acusados, diante de tantas evidência de autoria do crime. Difícil aceitar que o principal acusado, Diego Polary, permaneça também em liberdade." Disse Rubem Soares, pai de Bruno Mattos durante entrevista ao programa 'Comando da Noite', na Rádio Capital AM.

Ainda segundo o pai de Bruno Matos, a luta por justiça continua. "Esse crime não vai ficar impune, os envolvidos, que agora estão soltos, não podem comemorar, pois eles, um dia, vão sentar no banco dos réus, em um Júri Popular, e serão punidos. Não vamos descansar enquanto a justiça não for feita", disse ao jornalista Gilberto Lima.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247