Comissão confirma plágio e reitora bolsonarista da Ufersa deve perder o cargo

Das 195 páginas que compõem a tese de doutorado defendida pela reitora em 2011, em pelo menos 16 delas, há o que a comunidade acadêmica classifica como plágio

Jair Bolsonaro e Ludimilla Oliveira
Jair Bolsonaro e Ludimilla Oliveira (Foto: Reprodução/Redes Sociais)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Por Carla Cruz, Agência Saiba Mais - Ao que tudo indica, a reitora bolsonarista da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), Ludimilla Oliveira, dará adeus ao cargo junto ao presidente derrotado. Em um parecer encaminhado à Reitoria da UFRN, a Comissão de Processo Administrativo Disciplinar Discente (CPADD), montada para analisar o possível plágio cometido pela atual reitora da Ufersa, confirmou os indícios apresentados na denúncia e recomendou a aplicação da pena de exclusão da discente. 

Com a decisão, Ludimilla Oliveira deve perder o título de doutora e não poderá mais ficar à frente da Reitoria da Ufersa. 

continua após o anúncio

O caso foi noticiado, com exclusividade pela Agência SAIBA MAIS. Das 195 páginas que compõem a tese de doutorado defendida pela reitora em 2011, em pelo menos 16 delas, há o que a comunidade acadêmica classifica como plágio. Isto é, cópias inteiras ou parciais de textos de outros autores, sem que a fonte seja citada ou haja uso de aspas, no caso de transcrições.

Confira a reportagem na íntegra.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247