Conselho Federal de Medicina ataca governadores do Nordeste que querem contratar médicos brasileiros formados no exterior

O presidente do Conselho Federal de Medicina, Mauro Ribeiro, publicou vídeo no qual chama de "atitude covarde" a solicitação de governadores do Nordeste para que o governo federal autorize a atuação de médicos brasileiros formados no exterior

Segunda leva de médicos cubanos chegam à Itália (Turim)
Segunda leva de médicos cubanos chegam à Itália (Turim) (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Ribeiro, publicou vídeo no qual chama de "atitude covarde" a solicitação de governadores do Nordeste para que o governo federal autorize a atuação de médicos brasileiros formados no exterior, mesmo sem diplomas revalidados no país, no combate à Covid-19. A informação é da jornalista Monica Bergamo, em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo. 

O pedido foi encaminhado pelos governadores da região no mês de abril.

"Vejo essa situação como uma situação de traição desses governadores, com argumentos falaciosos, com argumentos mentirosos, se aproveitando do momento de maior ameaça da história da nossa sociedade em relação a uma doença terrível, altamente transmissível, e de uma letalidade muito rápida para aprovarem algo totalmente desprezível", afirma Mauro Ribeiro.

Segundo reportagem publicada no portal Brasil de Fato, o objetivo das contratações é multiplicar o contingente de profissionais em campo com a contratação temporária, por seis meses, de estudantes, médicos formados no exterior e voluntários para atuarem na prevenção e assistência à população.

Segundo o coordenador da Comissão Científica do Consórcio, o neurocientista Miguel Nicolelis, a estratégia de atuação dos profissionais contratados será feita com base em informações fornecidas pela própria população, por meio do aplicativo “Monitora Covid-19”, desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ele afirma que a implantação da medida tem que ser imediata.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247