Dino: reforma da Previdência retira direitos e pune os mais pobres

Governador do Maranhão foi enfático ao afirmar que as mudanças no sistema previdenciário vão prejudicar ainda mais a população de baixa renda e os trabalhadores;  "Acho que a reforma deveria ser imediatamente suspensa porque não é o momento de debatê-la. O tema é muito sério. A proposta que está aí pune os pobres e é extremamente injusta. São propostas regressivas, que tiram direitos", disse; Flávio Dino sugeriu que os bancos sejam taxados, assim como as fortunas dos mais ricos

Bras�lia - O presidente da Embratur, Fl�vio Dino, fala com a imprensa ap�s encontro com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e com o ministro da Justi�a, Joz� Eduardo Cardozo
Bras�lia - O presidente da Embratur, Fl�vio Dino, fala com a imprensa ap�s encontro com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e com o ministro da Justi�a, Joz� Eduardo Cardozo (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Maranhão 247 - Nesta terça-feira, o governador do Maranhão, Flávio Dino, concedeu entrevista à Rádio Timbira. Um dos temas comentados foi a proposta de reforma da Previdência, liderada pelo governo de Michel Temer. Dino foi enfático ao afirmar que as mudanças no sistema previdenciário vão prejudicar ainda mais a população de baixa renda e os trabalhadores.

"Acho que a reforma deveria ser imediatamente suspensa porque não é o momento de debatê-la. O tema é muito sério. A proposta que está aí pune os pobres e é extremamente injusta. São propostas regressivas, que tiram direitos", disse o governador.

Flávio Dino sugeriu que os bancos sejam taxados, assim como as fortunas dos mais ricos. "Nós temos outros caminhos para financiar a previdência e cito o exemplo dos bancos. Por que eles não pagam impostos? Temos que ter um Sistema Tributário mais justo. A taxação das fortunas dos ricos, assim como ocorre nos principais países do mundo. Tributar com justiça aqueles que podem pagar mais".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247