'Ela não teve coragem de pegar a mão do meu filho', diz mãe de menino que morreu ao cair do 9º andar

"Quando enterrei o meu filho, eu ainda não tinha visto o vídeo e nem sabia. A gente não sabia o que tinha acontecido. Quando recebi o vídeo e vi, aquilo me bateu uma raiva e uma angústia, e liguei para ela para saber o que aconteceu, porque ela não tinha ligado para mim”, disse a mãe do menino, Mirtes Regina Santana de Souza

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - A mãe do menino Miguel, que morreu ao cair do nono andar de um prédio no Recife, criticou o comportamento de sua então patroa: "Ela não teve a coragem de segurar a mão do meu filho e tirar ele ali de dentro". 

Miguel Otávio Santana da Silva, de apenas cinco anos, filho da empregada doméstica Mirtes Regina Santana de Souza, morreu na última terça-feira (2) após ser deixado sob os cuidados de Sarí Corte Real

A empregadora de Mirtes deixou o menino sozinho no elevador para a criança ir encontrar sua mãe, que se encontrava na rua passeando com o cachorro dos patrões. Ao invés de descer do quinto andar para o térreo, Miguel acabou parando no nono andar do prédio, e caiu de uma área destinada a peças de ar-condicionado, de uma altura de 35 metros. 

"Ela não deu resposta [sobre por que deixou a criança no elevador]. Só disse que ia provar que não apertou o botão [de andar acima]. Ela pode provar o que for, mas ela deixou. As imagens são claras, ela deixou o meu filho lá e esperou a porta fechar. Ela não teve a coragem de segurar a mão do meu filho e tirar ele ali de dentro. Se fosse um filho dela, eu teria tirado. Uma criança inocente e que não tinha noção de perigo. A única coisa que ele queria era a mim, a mãe dele. Ela não teve um pingo de paciência", disse a doméstica em entrevista para o programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo. 

Mirtes contou ainda que a patroa chegou a ir ao velório da criança e que as duas se abraçaram. Durante o enterro, a doméstica não sabia que Sarí tinha deixado Miguel sozinho no elevador, como mostrou um vídeo das câmeras de segurança do edifício. 

'A gente não sabia o que tinha acontecido'

"Quando enterrei o meu filho, eu ainda não tinha visto o vídeo e nem sabia. A gente não sabia o que tinha acontecido. Quando recebi o vídeo e vi, aquilo me bateu uma raiva e uma angústia, e liguei para ela para saber o que aconteceu, porque ela não tinha ligado para mim. Quando indaguei ela por que ela apertou o botão da cobertura, por que deixou meu filho ali, ela só respondeu: 'Eu não apertei o botão da cobertura. Vou provar para você'. Só ficou dizendo que não apertou. Ela pode provar o que for, mas ela deixou o meu filho no elevador", questionou Mirtes. 

Apesar da epidemia da COVID-19, Mirtes continuou trabalhando na casa da patroa. No dia da tragédia, a doméstica tinha levado o filho para casa da empregadora. A mãe do menino recebeu ordens para descer e passear com o cachorro dos patrões, mas pediu para deixar o filho no apartamento.

Segundo a polícia, enquanto Mirtes estava na parte de baixo do prédio, a criança quis encontrá-la. A patroa, que estava com uma manicure que fazia as unhas dela, deixou o menino entrar sozinho no elevador para procurar a mãe. 

Mulher do prefeito do município pernambucano de Tamandaré, Sarí Corte Real foi presa em flagrante logo após a morte de Miguel, e liberada após pagar fiança de R$ 20 mil.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247