Flávio Dino: “não é papel do presidente da República proteger criminosos”

Governador do Maranhão comenta a decisão de Bolsonaro de recorrer ao STF para tentar desbloquear contas de seus apoiadores no Twitter

Jair Bolsonaro e Flávio Dino
Jair Bolsonaro e Flávio Dino (Foto: PR | LULA MARQUES)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), comentou no Twitter a decisão de Jair Bolsonaro de recorrer ao STF para tentar desbloquear contas de seus apoiadores no Twitter, conforme decisão do ministro Alexandre de Moraes.

Contra o gesto do presidente, Dino argumentou através de três pontos: “1. Liberdade de expressão não protege cometimento de crimes. 2. Executar campanhas de calúnias e ameaças é coisa de criminoso. 3. Não é papel do presidente da República proteger criminosos. A não ser que os considere como sócios”.

Para sustentar o recurso, Bolsonaro argumentou que, com o recurso, visa “ao cumprimento de dispositivos constitucionais. Uma ação baseada na clareza do Art. 5° [da Constituição], dos direitos e garantias fundamentais”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247