Flávio Dino: “ninguém constrói um caminho popular para o Brasil contra o PT"

Governador do Maranhão defende que a união para 2022 tem que ir além de PT, PCdoB e PSOL, é preciso juntar o campo político mais à esquerda e popular

Flávio Dino
Flávio Dino (Foto: Governo do Maranhão)
Siga o Brasil 247 no Google News

Revista Fórum - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), voltou a defender união da esquerda em entrevista à jornalista Cynara Menezes, no Jornal da Fórum. Para ele, sua maior preocupação do momento é com o Maranhão e ajudar na política nacional, mas, como diz, para “juntar, pois já tem muita gente para espalhar”.

“Procuro nesse momento mirar o principal, que é conseguir criar uma alternativa válida e competitiva para derrotar o bolsonarismo e outros setores da direita. Não é só derrotar o Bolsonaro. Para isso, precisa de todo mundo, senão no primeiro turno, no segundo. O resultado de 2018 a gente viu o que aconteceu, vimos o que ocorreu no Rio de Janeiro, a esquerda saiu com três candidaturas e ficou fora do segundo turno”, disse, lembrando que Eduardo Paes (MDB) foi eleito com os votos da esquerda contra o bolsonarista Marcelo Crivella (Republicanos).

Para Dino, a união para 2022 tem que ir além de PT, PCdoB e PSOL, é preciso juntar o campo político mais à esquerda e popular. “Nosso problema não é chegar ao segundo turno, é ganhar a eleição”, afirmou. “Ninguém constrói um caminho popular para o Brasil contra o PT, não necessariamente que deva ser do PT, mas vai ser contra o principal partido?”, questionou. 

PUBLICIDADE

Continue lendo na Fórum

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email