Integrante do grupo de Policiais Antifascistas é exonerado pelo Governo de Pernambuco

Integrante do grupo de Policiais Antifascistas e ex-presidente do Sinpol-PE foi demitido nesta terça-feira. Em nota, o Sinpol-PE disse "repudiar veementemente a atitude covarde do Governo do Estado" e que a exoneração é fruto de "perseguição política"

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Integrante do grupo de Policiais Antifascistas e ex-presidente do Sindicato dos Policiais Civil de Pernambuco (Sinpol), Áureo Cisneirosfoi demitido do quadro de servidores do Governo do Estado. A exoneração foi publicada no Diário Oficial de Pernambuco nesta terça-feira (5). A demissão já era esperada por movimentos sindicais e sociais, que já haviam denunciando que Cisneiros era perseguido politicamente. A atual direção o Sinpol emitiu uma nota de repúdio ao desligamento do comissário.. 

De acordo com reportagem do blog do jornalista Jamildo Melo, Cisneiros respondia a diversos processos administrativos abertos pela Secretaria de Defesa Social. A ação mais antigo é datada de outubro 2017. Em nota, o Sinpol afirmou “repudiar veementemente a atitude covarde do Governo do Estado”. “Queremos destacar que essa atitude só demonstra a perseguição política que o companheiro Áureo Cisneiros vem sofrendo há anos, pela sua atuação contundente enquanto sindicalista, sempre na defesa dos direitos da nossa categoria, quando em sua gestão conseguiu a maior conquista salarial da história da Polícia Civil em Pernambuco”, destaca um trecho do texto. 

Confira a íntegra da nota. 

 O SINPOL-PE vem a público repudiar veementemente a atitude covarde do Governo do Estado pela demissão do companheiro Áureo Cisneiros da Instituição da Polícia Civil de Pernambuco, publicada no Diário Oficial do Estado de hoje, dia 05. 

Queremos destacar que essa atitude só demonstra a perseguição política que o companheiro Áureo Cisneiros vem sofrendo há anos, pela sua atuação contundente enquanto sindicalista, sempre na defesa dos direitos da nossa categoria, quando em sua gestão conseguiu a maior conquista salarial da história da Polícia Civil em Pernambuco.

“Desde dezembro de 2018, o governador estava com essa demissão em mãos. De maneira muito sórdida, antidemocrática e anti-sindical, comete um absurdo desses, sabendo que todos os processos de Áureo se devem por sua atuação em defesa dos policiais civis”, ressaltou o presidente do SINPOL-PE, Rafael Cavalcanti. 

O SINPOL-PE considera esse tipo de postura um atentado contra toda a classe trabalhadora, o movimento sindical e a Polícia Civil de Pernambuco. 

O SINPOL-PE ressalta que não se intimidará e tomará todas as medidas cabíveis na defesa dos direitos do companheiro Áureo Cisneiros, oferecendo-lhe todo o suporte necessário. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247