Jefferson Portela bate duro no jornal dos Sarney

O 'xerife' Jefferson Portela, secretário de Segurança do Governo do Maranhão, criticou duramente o jornal 'O Estado do Maranhão' em postagem nas redes sociais; segundo ele, o veículo, "de propriedade daquela nefasta oligarquia", reconheceu equívocos na divulgação de estatísticas referentes à violência no estado, mas "não tiveram a grandeza de corrigir a inverdade na mesma proporção, pois escandalizaram na capa e piaram no esclarecimento"; "Triste sina a de oligarquia desprezada, lembrada agora apenas nas páginas policiais"

O 'xerife' Jefferson Portela, secretário de Segurança do Governo do Maranhão, criticou duramente o jornal 'O Estado do Maranhão' em postagem nas redes sociais; segundo ele, o veículo, "de propriedade daquela nefasta oligarquia", reconheceu equívocos na divulgação de estatísticas referentes à violência no estado, mas "não tiveram a grandeza de corrigir a inverdade na mesma proporção, pois escandalizaram na capa e piaram no esclarecimento"; "Triste sina a de oligarquia desprezada, lembrada agora apenas nas páginas policiais"
O 'xerife' Jefferson Portela, secretário de Segurança do Governo do Maranhão, criticou duramente o jornal 'O Estado do Maranhão' em postagem nas redes sociais; segundo ele, o veículo, "de propriedade daquela nefasta oligarquia", reconheceu equívocos na divulgação de estatísticas referentes à violência no estado, mas "não tiveram a grandeza de corrigir a inverdade na mesma proporção, pois escandalizaram na capa e piaram no esclarecimento"; "Triste sina a de oligarquia desprezada, lembrada agora apenas nas páginas policiais" (Foto: Leonardo Lucena)

Blog do Marrapá - O 'xerife' Jefferson Portela, secretário de Segurança do Governo do Maranhão, criticou duramente o jornal 'O Estado do Maranhão' em postagem nas redes sociais.

Jefferson acusou o pasquim dos Sarney de não dar o devido espaço aos esclarecimentos a respeito do editorial publicado na última terça-feira.

"O jornal o estado do maranhão (de propriedade daquela nefasta oligarquia), fez escândalo em suas manchetes de ontem (matéria de capa), falando de fuga de presos e de homicídios. Na edição de hoje (25.03.15), admitem a mentira em páginas internas, dizendo que os números são bem menores. Porém, não tiveram a grandeza de corrigir a inverdade na mesma proporção, pois escandalizaram na capa e piaram no esclarecimento. Triste sina a de oligarquia desprezada, lembrada agora apenas nas páginas policiais", diz o texto.

O texto, divulgado na capa do jornal, deu informações equivocadas sobre o número de homicídios, latrocínios e fugas registradas na Penitenciária de Pedrinhas nos primeiros meses deste ano.

Na edição do dia seguinte, o EMA reconheceu a má-fé na publicação dos índices de criminalidade, mas recusou-se a divulgar na íntegra as explicações do secretaria.

Abaixo a nota enviada à redação do O Estado:

Acerca do editorial "O medo é nosso (e de mais ninguém)", publicado na edição desta terça-feira (24) pelo jornal "O Estado do Maranhão", o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Comunicação Social (Secom), esclarece que:

Em apenas dois meses e 24 dias, o governo do Estado adotou uma série de medidas que visam reorganizar o caótico sistema carcerário, herdado da gestão anterior, que incluem o recolhimento dos presos nas celas dos presídios, fardamento de todos os detentos, chamada nominal após banho de sol e realização de oficinas de artesanato;

Nesse período não foi registrado nenhum motim ou rebelião. Houve registro de quatro mortes, três destas entre os detentos. Oito a menos que o número registrado no primeiro trimestre do ano passado. A quantidade de fugas decresceu neste ano. Foram registradas 15 fugas e não 23 como equivocadamente informa o editorial, enquanto no primeiro trimestre do ano passado ocorreram 25 fugas;

Quanto à Segurança Pública, não é verdadeiro o número de quase 80 homicídios nos primeiros 22 dias de março. No comparativo com o mesmo período do ano passado, os números mostram tendência de queda, enquanto entre 2013 e 2014, cresceram 44,72%;

Também leviana é a informação de que o governador Flávio Dino está em 'redoma palaciana hiper-protegida". Ao contrário! Entre as primeiras iniciativas adotadas pelo governador consta a redução em 50% do efetivo policial que estava à disposição da guarda palaciana da ex-governadora Roseana Sarney, em cujo governo o Palácio dos Leões foi cercado por grades de proteção;

O governador cumpre extensa agenda no Palácio dos Leões, universidades, entidades da sociedade civil, enfim, em permanente e aberto diálogo com a sociedade;

Reitera, por fim, que o governo trabalha desde o primeiro dia para melhorar a segurança pública e o sistema penitenciário do Estado a partir de ações concretas como a convocação de mil novos policiais militares e bombeiros para reforçar o contingente policial do Estado, menor do país, além de iniciar processo seletivo para contratação de 1.200 agentes penitenciários visando garantir condições dignas para que os presos possam cumprir suas penas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247