Justiça dá prazo de 48 horas para governo conter manchas de óleo em Sergipe

Diante da inércia do governo Jair Bolsonaro em conter o avanço do óleo que atingem as praias do Nordeste, a Justiça Federal de Sergipe acatou o pedido do MP e determinou que o governo federal tome providências no prazo de 48 horas, sob pena de multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento

No Nordeste, Bolsonaro pede que governadores apoiem reforma
No Nordeste, Bolsonaro pede que governadores apoiem reforma (Foto: Carolina Antunes/PR)

247 - Enquanto o governo de Jair Bolsoanro se preocupa em culpar a Venezuela, sem apresentar provas, de que seja responsável pelo petróleo cru que toma conta das praias do Nordeste, a Justiça Federal de Sergipe determinou neste sábado (12) que a União e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) implantem barreiras de proteção nos rios São Francisco, Japaratuba, Sergipe, Vaza Barris e Real, "com o consequente monitoramento", para que manchas de óleo que começaram a aparecer nas praias da Grande Recife não se espalharam pela região. 

"É fundamental proteger a cabeceira dos rios para que não haja uma maior contaminação das águas, principalmente dos rios utilizados para o consumo da população", diz o juiz Fábio Cordeiro de Lima, que acolheu o pedido do Ministério Público Federal de Sergipe (MPF-SE) que entrou com uma ação exigindo medidas efetivas de proteção no litoral sergipano. 

"O Governo Federal está sendo, absolutamente omisso, porque nós não estamos, sequer, até agora, discutindo medidas de proteção, que já existem, já se sabe quais são. Simplesmente não se dá o mínimo passo nessa direção. Isso não é apenas um descompromisso com o Meio Ambiente, isso é uma total falta de respeito com a sociedade sergipana, brasileira e até de todo o planeta. Afinal de contas, são impactos não controlados e que precisam um tratamento adequado”, argumentou o MPF.

O juiz deu um prazo de 48 horas para que os órgãos públicos tomem as devidas providências, sob pena de multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247