Líder espiritual é acusado de estuprar e abusar 14 mulheres na Bahia

A primeira vítima a denunciar engenheiro Tércio Cunha Costa, de 63 anos, foi Tatiana. Segundo a vítima, o religioso dizia que precisava fazer sexo com ela para "equilibrar os chacras" da jovem. Ao menos 14 mulheres passaram por constrangimento com ele

Jair Tércio Cunha Costa
Jair Tércio Cunha Costa (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O engenheiro Jair Tércio Cunha Costa, de 63 anos, é acusado de manipular e estuprar ao menos 14 mulheres em Salvador (BA). As informações foram veiculadas na edição deste domingo (2) do Fantástico, na TV Globo.

A primeira vítima a denunciar o líder religioso foi Tatiana. Ela, que disse ter sofrido abusos entre 2002 e 2014, entrou para o que chama de “seita” maçom por intermédio de um namorado. Na época, a vítima tinha 16 anos e estava grávida, o que a fez procurar Jair Tércio.

"A partir daí eu perdi minha vida. Não pude escolher profissão, ele determinou que era pedagogia. Fui obrigada a trabalhar na escola que ele fundou, me afastei de minha mãe por ordem dele, tive que mudar celular, apagar e-mail e criar outro e-mail para que ninguém da minha vida tivesse contato comigo", contou ao Fantástico.

De acordo com a vítima, Tércio dizia que precisava fazer sexo com ela para "equilibrar os chacras" da jovem. "Me sentia péssima após os estupros. Chegava em casa e vomitava. E, com isso, eu me afastei mais ainda de todo mundo. Inclusive das pessoas da seita, porque ele fala que ninguém é confiável, que a gente só pode confiar nele", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247