Presidente do TJ da Bahia e mais 5 magistrados são afastados por suspeita de venda de sentenças

Outras quatro pessoas foram presas durante uma operação na Bahia que visa desmantelar um esquema de venda de decisões judiciais. Também foram cumpridos 40 mandados de busca e apreensão em quatro cidades baianas e em Brasília

Presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Gesivaldo Britto
Presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Gesivaldo Britto (Foto: Nei Pinto/TJ-BA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Gesivaldo Britto, e outros cinco magistrados foram afastados do cargo por 90 dias na manhã desta terça-feira (19), em Salvador, por conta de uma operação da Polícia Federal para combater um suposto esquema de venda de decisões judiciais. Outras quatro pessoas foram presas. Também foram cumpridos 40 mandados de busca e apreensão em quatro cidades baianas e em Brasília. 

Estão sendo investigados, ainda, crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de ativos, evasão de divisas, organização criminosa e tráfico influência no estado.

Em nota, o TJ-BA afirmou que "a investigação está em andamento, mas todas as informações dos integrantes do TJBA serão prestadas, posteriormente, com base nos Princípios Constitucionais".

"Quanto à vacância temporária do cargo de presidente, o Regimento Interno deste Tribunal traz a solução aplicada ao caso concreto. O 1º Vice Presidente, Desembargador Augusto de Lima Bispo, é o substituto natural".


Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247