Principal suspeito de construir e vender prédios que desabaram e mataram 24 pessoas é preso em Pernambuco

Apontado como líder do grupo que vendeu apartamentos de dois prédios que desabaram e mataram 24 pessoas na comunidade da Muzema, no Rio de Janeiro, no início de abril, José Bezerra de Lira, conhecido como Zé do Rolo, foi preso por policiais civis de Pernambuco. Ele foi encontrado em um sítio localizado em Afogados da Ingazeira, no interior do Estado

Equipes que atuam na busca e resgate de pessoas após o desabamento dos dois prédios na comunidade da Muzema.
Equipes que atuam na busca e resgate de pessoas após o desabamento dos dois prédios na comunidade da Muzema. (Foto: Tânia Rego/ABr | Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Apontado como líder do grupo que vendeu apartamentos de dois prédios que desabaram e mataram 24 pessoas na comunidade da Muzema, no Rio de Janeiro, no início de abril, José Bezerra de Lira, conhecido como Zé do Rolo, foi preso por policiais civis de Pernambuco. Ele foi encontrado em um síitio localizado em Afogados da Ingazeira, no interior do Estado, na região do Sertão do Alto Pajeú. 

Ao ser preso, Zé do Rolo teria dito aos agentes que fugiu para Pernambuco por temer represálias da milícia da qual era integrante no momento do desabamento dos prédios no Rio. No momento da prisão, os policiais encontram duas espingardas e munições em posse do suspeito. 

De acordo com informações do G1, a delegada Adriana Belém, responsável pelas investigações que resultaram na prisão de Zé do Rolo, a transferência do suspeito para o Rio de Janeiro já está sendo providenciada, embora ainda não tenha uma data definida. Outras três pessoas suspeitas de ligação com o desabamento e de integrarem a milícia responsável pela construção dos prédios que desabaram foram presos em abril. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email