PT-MA não descarta candidatura própria

Ao comentar o rompimento temporário do PT com PDT, do prefeito de São Luís e pré-candidato à reeleição, Edivaldo Holanda Júnior, e com o PCdoB, do governador Flávio Dino, o presidente da legenda petista no Maranhão, Raimundo Monteiro, afirmou que a vaga de vice na chapa de Holanda Júnior era do PCdoB, que abriu mão em benefício do pré-candidato petista Mário Macieira; ele disse que após algumas reuniões, as negociações com os partidos não avançaram; "Em última caso, a gente retoma o debate da candidatura própria", disse Monteiro; assista à íntegra da entrevista ao Blog Propagando

Ao comentar o rompimento temporário do PT com PDT, do prefeito de São Luís e pré-candidato à reeleição, Edivaldo Holanda Júnior, e com o PCdoB, do governador Flávio Dino, o presidente da legenda petista no Maranhão, Raimundo Monteiro, afirmou que a vaga de vice na chapa de Holanda Júnior era do PCdoB, que abriu mão em benefício do pré-candidato petista Mário Macieira; ele disse que após algumas reuniões, as negociações com os partidos não avançaram; "Em última caso, a gente retoma o debate da candidatura própria", disse Monteiro; assista à íntegra da entrevista ao Blog Propagando
Ao comentar o rompimento temporário do PT com PDT, do prefeito de São Luís e pré-candidato à reeleição, Edivaldo Holanda Júnior, e com o PCdoB, do governador Flávio Dino, o presidente da legenda petista no Maranhão, Raimundo Monteiro, afirmou que a vaga de vice na chapa de Holanda Júnior era do PCdoB, que abriu mão em benefício do pré-candidato petista Mário Macieira; ele disse que após algumas reuniões, as negociações com os partidos não avançaram; "Em última caso, a gente retoma o debate da candidatura própria", disse Monteiro; assista à íntegra da entrevista ao Blog Propagando (Foto: Leonardo Lucena)

Por Ricardo Fonseca, do Blog Propagando - O presidente estadual do PT no Maranhão, Raimundo Monteiro, falou com exclusividade ao Propagando sobre o "rompimento temporário" como o PDT (do prefeito e pré-candidato Edivaldo Holanda Júnior) e o PCdoB (do governador Flávio Dino).

Segundo Monteiro, a vaga de vice na chapa do atual prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, era do PCdoB, que abriu mão em benefício do pré-candidato Mário Macieira (PT) - ex-presidente da OAB no estado. Ele disse que após algumas reuniões, as negociações com os partidos não avançaram.

O blog apurou que o provável motivo seria a indicação do PSB a vice, através do vereador Roberto Rocha Júnior, filho do senador e pretenso candidato a governador em 2018, Roberto Rocha.

"Não estão fazendo uma avaliação correta, da importância do PT em um processo eleitoral. O PT tem uma militância extraordinária, nós temos tempo de televisão, temos nomes com capacidade de dialogar com a cidade. Eu não sei realmente o que aconteceu. A verdade é que nós vamos conversar com outros grupos, outros setores, pra gente poder avançar. Não dá pro PT ficar nessa pendência, independente de A ou de B. Em última caso, a gente retoma o debate da candidatura própria", diz Raimundo Monteiro.

O Presidente do PT no Maranhão também falou da gafe da assessoria da presidenta Dilma em cancelar a visita que faria ao Maranhão no próximo dia 28. “Nós ficamos frustrados com isso. Achamos que foi um erro, a presidenta deveria ter vindo ao Maranhão. A justificativa que ela deu foi que vai estar com os senadores dia 28 para discutir a questão do golpe. Nós reclamamos a ausência da querida presidenta Dilma aqui no Maranhão”, afirmou. 

Ficou então para o próximo dia 28 a decisão final do Partido dos Trabalhadores se rompe de vez ou apóia o prefeito e pré-candidato à reeleição Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato oficial do governador Flávio Dino (PCdoB). Mas uma coisa é certa: a condição “Sine Qua Non” ou “sem a qual não”, para efetivar esse apoio, é a vaga de vice para o Dr. Mário Macieira, pré-candidato oficial do partido. 

Vale-a-pena-lembrar-de-novo: Mario Macieira, que é primo legítimo da ex-governadora Roseana Sarney e amigo de infância de Flávio Dino (estudaram juntos no Marista Maranhense), foi o seu maior cabo eleitoral em todas as suas campanhas políticas. Desde a campanha exitosa para deputado federal (2006), a complicada campanha para prefeito em (2008), passando pela dificílima campanha de 2010 para o governo. E por fim chegando a última em 2014, quando efetivamente conseguiu a tão sonhada cadeira de governador do Estado do Maranhão, derrotando os 50 anos de oligarquia da família Sarney.

Desta feita, Dino deveria ter pelo menos o compromisso e a consideração de brigar pela vaga de vice-prefeito na chapa que apóia, para o grande amigo de lutas, Dr. Mário Macieira.

Conheça a TV 247

Mais de Nordeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247