Acusado de crime bárbaro em Santa Teresa é preso depois de dez anos

Cludio Marques Baptista de Mattos e outros dois homens estupraram e esfaquearam uma fonoaudiloga (foto), e sua filha, de 13 anos na frente do marido e do filho, em 2001; Mattos foi preso hoje (18), na Pavuna por Policiais

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Na manhã desta sexta-feira (18), um homem acusado pela morte da fonoaudióloga e de sua filha, em 2001, foi preso na Pavuna, zona norte.

Márcia Maria Lopes Coelho Castro Lira, de 42 anos, foi morta na noite do dia 26 de abril de 2011, no apartamento, com sua família. Ela e sua filha de 13 anos foram estupradas e esfaqueadas por três homens, enquanto o filho e o marido assistiam o crime.

Os policiais militares do Batalhão de Irajá (41º BPM) pegaram um dos acusados, Cláudio Marques Baptista de Mattos enquanto caminhava na Rua Sargento Basileu da Costa, na Pavuna, depois de dez anos do homicídio.

Os policiais informaram que ele estava cumprindo regime semi-aberto por roubo e estava foragido. Eles reconheceram o criminoso através de fotos.

Na época do crime, um dos homens chegou a ser preso, mas foi encontrado morto em uma das celas. Segundo informações, ele teria cometido suicídio.

Por conta da repercussão do crime, os dois foram julgados um ano depois.

Mattos foi condenado a 14 anos de prisão em regime fechado, em um processo por homicídio doloso e latrocínio, roubo seguido de morte. Enquanto o pedreiro Alan Marques da Costa foi condenado a 40 anos e 6 meses de prisão, também em regime fechado.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email