Aécio Neves é denunciado pela PGR por propinas de R$ 65 milhões de construtoras

Símbolo maior da impunidade no Brasil, deputado é alvo de acusação de ter recebido R$ 65 milhões em propinas, sendo R$ 30 milhões da Odebrecht e R$ 35 milhões da Andrade Gutierrez

Aécio Neves diz que Congresso discute adiar eleições municipais para 2022
Aécio Neves diz que Congresso discute adiar eleições municipais para 2022 (Foto: UESLEI MARCELINO/REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (30), pela prática dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

A acusação é de Aécio ter recebido R$ 65 milhões em propinas, sendo R$ 30 milhões da Odebrecht e R$ 35 milhões da Andrade Gutierrez.

Em troca, o tucano teria beneficiado as companhias em obras de infraestrutura como o projeto do Rio Madeira e as usinas hidrelétricas de Santos Antônio e Jirau.

De acordo com a acusação, entre os envolvidos no esquema, estão Dimas Toledo, ex-diretor de Furnas, e o empresário Alexandre Accioly, que também foram denunciados pela PGR.

A acusação é baseada nas delações premiadas de executivos da Odebrecht. 

“As provas coligidas na investigação demonstraram a existencia de um pernicioso e perene esquema de troca de favores, cujo epicentro é Aécio Neves, configurando um sistema institucionalizado de corrupção”, escreve a subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo.

Aécio já é réu em outro caso em que é acusado de receber 2 milhões de reais em propina da JBS.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247