Após assassinato de Ágatha, 25 parlamentares entram com notícia crime contra Witzel

Um grupo de 25 parlamentares do PT, PSOL, PSDB, PCdoB e PDT ingressou com uma notícia crime junto à PGR contra o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Parlamentares alegam que as declarações de Witzel comprovam que a atual gestão fluminense tem promovido o aumento das incursões armadas em áreas mais pobres do Estado e destacam o assassinato da menina Ágatha Félix, de oito anos, baleada nas costas durante uma incursão policial no Complexo do Alemão

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel
O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um grupo de 25 parlamentares do PT, PSOL, PSDB, PCdoB e PDT ingressou com uma notícia crime junto à Procuradoria Geral de República (PGR) contra o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Segundo a representação, as declarações de Witzel comprovam que a atual gestão fluminense tem promovido o aumento das incursões armadas em áres mais pobres do Estado.

“É possível afirmar, portanto, que a incitação e a apologia são espécies delitivas, à medida que a apologia nada mais é que uma incitação indireta e implícita à prática de crime”, alegam os parlamentares na notícia crime. 

De acordo com reportagem do blog de Ancelmo Gois , a noticia crime destaca que a apologia e a incitação ao crime estão previstas no Código Penal Brasileiro. Os parlamentares pedem a abertura de inquérito policial para apurar a autoria e as circustâncias dos eventuais delitos que tenham sido cometidos. Os parlamentares também pedem que o atual comandante geral da Polícia Militar e o secretário de Segurança de Polícia Civil do Rio sejam investigados. 

Nas fundamentações, os parlamentares destacam o assassinato da menina Ágatha Félix, de oito anos, baleada nas costas durante uma incursão policial no Complexo do Alemão, além da execução de ao menos outros 12 jovens somente em setembro. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email