Atendimentos nas UPA's passam dos 12 milhões

Unidades da Penha e de Campo Grande, na capital, tm os maiores nmeros do estado em pouco mais de quatro anos; outras cinco unidades sero inauguradas na Baixada Fluminense; modelo no substitui hospitais, mas presta primeiro atendimento



Rio_247 - Modelo de atendimento em saúde fluminense já foi copiado na Argentina e implantado pelo governo federal em escala nacional. Doze milhões de atendimentos depois, a Secretaria de Saúde comemora mais de 99% dos casos resolvidos. Em pouco menos de cinco anos, o resultado é a soma das 48 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24 horas no Estado, com entrega de mais de 86 milhões de medicamentos e oito milhões de exames. Os maiores números aparecem nos bairros mais populosos. As unidades de Campo Grande e da Penha, na capital fluminense, marcavam médias diárias de 456 e 408 atendimentos, respectivamente.

Outras cinco unidades serão inauguradas na Baixada Fluminense, em Nova Iguaçu, Japeri, Caxias (Lote 15), Magé e São João de Meriti. 

O saldo positivo é destacado pelo secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, que afirma que as UPAs não substituem os hospitais, mas complementam a rede pública de saúde, prestando o primeiro atendimento, classificando a gravidade do problema e encaminhando o paciente, se necessário, a uma unidade hospitalar. 

"Há pouco mais de quatro anos, esses pacientes tinham que disputar vagas em postos de saúde, pronto-socorros e emergências,muitas vezes lado a lado com pacientes em estado grave. O Governo do Estado não pensou a UPA para substituir algum modelo já existente, mas sim para compor, junto às outras unidades, uma rede organizada de saúde", destacou Côrtes.

Depois de sofrer um acidente, o editor de vídeos Douglas Vieira, 19 anos, procurou a unidade de Copacabana, onde recebeu o primeiro atendimento.

 "Estava entrando no táxi quando veio um ônibus em alta velocidade e bateu na porta do carro. Tive um corte profundo no dedo indicador, que levou sete pontos, e perdi parte do dedo médio. Fui examinado por um médico, que me deu um analgésico para aliviar a dor, depois um enfermeiro limpou o ferimento e fez uma compressa de gaze para estancar o sangue, até conseguir chegar ao Miguel Couto, para onde fui encaminhado", relatou o editor. 

Fundamental para reduzir o fluxo nas grandes emergências dos hospitais, as UPAs têm estrutura simplificada com Raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames eleitos de observação, estrutura necessária para resolver urgências eemergências. Ao chegar à unidade, o paciente passa por uma avaliação para classificação de risco, que visa à aceleração do diagnóstico,contribuindo para a organização do fluxo e a priorização do atendimento dos casos de acordo com a gravidade. 

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247