Bola Preta arrasta milhares de foliões no Rio

Fundado em 1918, o maior bloco carnavalesco do Rio de Janeiro, o Cordão da Bola Preta, começou o desfile com sua Marcha do Cordão da Bola Preta, que começa com os versos Quem não chora não mama! Segura meu bem, a chupeta; “O Bola Preta é apegado à tradição. É o nosso carnaval número 99 e nos mantemos fiéis à tradição do carnaval”, disse o presidente do bloco, Pedro Ernesto

Fundado em 1918, o maior bloco carnavalesco do Rio de Janeiro, o Cordão da Bola Preta, começou o desfile com sua Marcha do Cordão da Bola Preta, que começa com os versos Quem não chora não mama! Segura meu bem, a chupeta; “O Bola Preta é apegado à tradição. É o nosso carnaval número 99 e nos mantemos fiéis à tradição do carnaval”, disse o presidente do bloco, Pedro Ernesto
Fundado em 1918, o maior bloco carnavalesco do Rio de Janeiro, o Cordão da Bola Preta, começou o desfile com sua Marcha do Cordão da Bola Preta, que começa com os versos Quem não chora não mama! Segura meu bem, a chupeta; “O Bola Preta é apegado à tradição. É o nosso carnaval número 99 e nos mantemos fiéis à tradição do carnaval”, disse o presidente do bloco, Pedro Ernesto (Foto: Leonardo Lucena)

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Considerado o maior bloco carnavalesco do Rio de Janeiro, o Cordão da Bola Preta começou a desfilar pelo centro da cidade pouco depois das 10h. Aos 99 anos, o bloco está arrastando milhares de foliões pela Rua 1º de Março.

Fundado em 1918, o tradicional bloco carioca começou o desfile com sua Marcha do Cordão da Bola Preta, que começa com os versos Quem não chora não mama! Segura meu bem, a chupeta. “O Bola Preta é apegado à tradição. É o nosso carnaval número 99 e nos mantemos fiéis à tradição do carnaval”, disse o presidente do bloco, Pedro Ernesto.

A aposentada Maria das Dores Lima, de 69 anos, se deslocou de Bonsucesso ao centro da cidade para curtir a festa. Segundo ela, o Bola Preta é o único bloco em que desfila no carnaval. “Eu adoro o Bola Preta. É o bloco mais animado. Eu venho ao Bola Preta há muitos anos, mas tinha ficado uns dez anos sem vir, por medo da violência. No ano passado, resolvi voltar. Eu viria com a minha neta, mas ela não quis acordar, eu vim sozinha”, disse.

Gérson Pereira veio de Mesquita, na Baixada Fluminense, junto com a esposa Vânia e os dois filhos, Julia, de 15 anos, e Felipe, de 11 anos. O Bola Preta é um dos vários blocos em que eles vão desfilar. “Nós participamos do Bola Preta desde que eles eram pequenos. Vamos desfilar em outros blocos também, mas sempre em família. Família é a base de tudo”, afirmou o folião.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247