Bope ocupa o São Carlos com 200 homens

Foi de surpresa; ocupao por tempo indeterminado; denncias annimas de trfico de drogas e circulao de armas na comunidade provocaram a ao policial

Agência Brasil – Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar vão ficar por tempo indeterminado na comunidade de São Carlos, no Estácio, zona norte do Rio. O Bope deu início hoje (27) a uma operação na comunidade depois de informações passadas ao Disque-Denúncia sobre a localização de drogas, traficantes e armas. Os policiais do Bope fazem um trabalho de varredura na região, com o objetivo de dar apoio à Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), que atua na comunidade desde maio de 2011.

 

De acordo com a Polícia Militar, três pessoas foram presas na comunidade. Entre elas, está um homem que, segunda a polícia, tem ligação com o traficante Anderson Rosa Mendonça, conhecido como Coelho, preso no ano passado durante a ocupação da Favela da Rocinha, zona sul da cidade. Os policiais também apreenderam 15 motocicletas, duas vans e uma kombi.

 

Cerca de 200 policiais do Bope atuam na operação, com o apoio do Batalhão de Choque, do Batalhão de Ações com Cães e do Grupamento Aéreo-Marítimo. Os policiais contam ainda com o apoio de dois helicópteros da Polícia Militar.

 

A ação ocorre depois que um confronto durante o carnaval entre policiais e traficantes causou a morte de um adolescente de 14 anos na comunidade e deixou quatro pessoas feridas, entre elas um homem conhecido como Menor Cheru, apontado como o gerente do tráfico na região.

 

Na mesma comunidade, há duas semanas, agentes da Delegacia de Repressão e Entorpecentes da Polícia Federal prenderam 11 pessoas acusadas de envolvimento com o trafico de drogas, entre elas o ex-comandante da UPP capitão Luis Piedade e o soldado da PM Alexandre Duarte, que atua na UPP do Fallet/Fogueteiro, no centro do Rio.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247