Brasil, EUA e Bolívia firmam acordo de combate à cocaína

Trs pases vo intensificar aes para modernizar a erradicao das plantaes ilegais de coca em territrio boliviano; Brasil investir US$ 100 mil no projeto

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil _ Brasil, os Estados Unidos e a Bolívia firmaram um acordo para modernizar a erradicação das plantações ilegais de coca em território boliviano. A parceria foi anunciada pelo vice-ministro boliviano da Defesa Social e Substâncias Controladas, Felipe Cáceres. Segundo ele, será implantado inicialmente um projeto piloto. Cáceres acrescentou que a Força-Tarefa Conjunta (FTC) vai monitorar o banco de dados e a remoção dos cultivos ilícitos.

Cáceres disse que os norte-americanos ficarão responsáveis por acessar imagens de satélite para medir as plantações de coca. Os investimentos dos Estados Unidos serão da ordem de US$ 250 mil, enquanto o Brasil investirá US$ 100 mil. Os brasileiros cuidarão da formação de técnicos, da verificação das plantações e erradicação.

Cáceres disse que as negociações foram conduzidas pelos ministérios das Relações Exteriores do Brasil e da Bolívia e pelo Departamento de Estado norte-americano. “Será implementado um projeto piloto de verificação e erradicação de cultivos ilegais de coca”, explicou.

O ministro disse ainda que será garantido o “respeito à soberania e dignidade” à Bolívia. Segundo ele, o governo dos Estados Unidos não participará das tarefas de interdição e de erradicação, mas contribuirá para a assistência econômica e o apoio logístico.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email