Câmara Municipal quer auxílio emergencial para 1,7 milhão em SP

Vereadores da base aliada e da oposição ao prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), defenderam que o auxílio emergencial alcance ao menos 1,7 milhão de moradores

Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.
Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Vereadores da base aliada e da oposição ao prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) defenderam que o auxílio emergencial alcance ao menos 1,7 milhão de moradores. O chefe do Executivo municipal encaminhou o projeto à Casa na semana passada. A proposta foi aprovada em primeira votação.

Em dezembro, após a reeleição, o prefeito pagou o benefício pela primeira vez a 420 mil famílias inscritas no programa federal. São R$ 100 mensais a cada integrante. 

Ao jornal O Estado de S.Paulo, o vereador Fabio Riva (PSDB) afirmou que dois cenários são estudados: o aumento do valor oferecido – o PSOL defende que chegue a R$ 350 por indivíduo da família – ou a ampliação do alcance, opção considerada mais viável.

"Ao longo desta semana vamos conversar com o Executivo para sabermos se há abertura orçamentária para isso. E também calcular qual seria o impacto financeiro de atender quem está na fila do Bolsa Família. Seriam cerca de 137 mil famílias a mais. Gente que já passou por todo o processo de cadastro na Prefeitura, mas que o governo federal ainda não inclui entre os seus atendidos", afirmou Riva. "Eu vou levar essa demanda, foi o que combinamos".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email