Campanha pega 30,8 mil armas no País em 6 meses

Segundo o ministrio, foram pagos at o momento R$ 2,8 milhes em indenizaes. Alm disso, acordos de cooperao com 21 estados permitiram o cadastro de 1.856 postos de recolhimento espalhados pelo pas

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio_247– Em vigor há seis meses, a Campanha Nacional do Desarmamento recolheu 30,8 mil armas de fogo em todo o país. De acordo com o Ministério da Justiça, o número de armas arrecadadas nos primeiros seis meses de campanha se aproxima do total entregue na campanha de 2008/2009: 31,8 mil armas de fogo.

O balanço divulgado hoje (16) pelo ministério mostra que os revólveres são a maior parte das armas entregues: 15,4 mil. Também foram recolhidas mais 4,4 mil armas de grande porte, como espingardas, rifles e fuzis.

O Rio Grande do Sul assumiu a melhor posição no ranking que avalia a relação entre população e armas devolvidas. São 34 armas entregues para cada 100 mil habitantes do estado. Pernambuco (22,2 armas por 100 mil habitantes), Rio de Janeiro (21 armas por 100 mil), Acre (19,9 armas por 100 mil) e São Paulo (19,7 armas por 100 mil) completam a lista dos cinco estados com maior número de devoluções.

Segundo o ministério, foram pagos até o momento R$ 2,8 milhões em indenizações. Além disso, acordos de cooperação com 21 estados permitiram o cadastro de 1.856 postos de recolhimento espalhados pelo país. Até o fim deste ano, o governo quer firmar parcerias com os estados do Amapá, Amazonas e Tocantins.

A campanha segue até 31 de dezembro. Segundo o ministério, depois dessa data, as entregas continuarão sendo aceitas, mas as pessoas que decidirem se desarmar não serão indenizadas.

Delegacias da Polícia Civil, postos da Polícia Rodoviária Federal, batalhões da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros e unidades das Forças Armadas funcionam como postos de coleta.

As unidades autorizadas para coleta de armas estão relacionadas na página eletrônica oficial da campanha: http://www.entreguesuaarma.gov.br/.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email