Candidata do PCdoB é agredida pelo marido, dá queixa e vai presa por desacato

Após a prisão do marido pela PM, Leda Mota foi à delegacia de Resende para prestar depoimento, mas foi presa por “interrupção de serviço público”

Leda Mota
Leda Mota (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A candidata a vereadora em Resende (RJ) Leda Mota, do PCdoB, foi presa por desacato, na quinta-feira, 22, após ir à delegacia para denunciar ter sido vítima de violência doméstica à Polícia Civil.

Leda Mota foi agredida pelo marido, com quem vive há mais de 20 anos. O homem foi preso por policiais militares. Ele quebrou uma cadeira e uma mesa de vidro, na frente das filhas.

Leda Mota, de 44 anos, publicou o vídeo, que foi divulgado pela sua companheira de partido Jandira Feghalli nas redes sociais.

Após a prisão do marido pela PM, Leda foi à delegacia de Resende para prestar depoimento, mas foi presa por “interrupção de serviço público”. Ela teria se exaltado no local e, segundo os delegados, causou um “verdadeiro tumulto”.

Jandira disse ao Metrópoles que a mulher não poderia ter sido presa, pois fere os artigos 10, 11 e 12, sobre acolhimento à vítima, da Lei Maria da Penha.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247