Celso Três afirma que material sobre Banestado é de vinte anos atrás

Em entrevista à TV Democracia, o procurador Celso Três afirmou que uma lista sobre o caso Banestado, que vem sendo tratada de forma sensacionalista nas redes sociais como "BanestadoLeaks", é café requentado

Procurador Celso Três e Banestado
Procurador Celso Três e Banestado (Foto: Grupo Sino/Divulgação | ARQUIVO/FETEC-CUT-PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador Celso Três, que investigou o caso Banestado, escândalo de remessas ilegais de dinheiro ao exterior na segunda metade de década de 1990, afirmou nesta quinta-feira (27) que não há qualquer novidade jornalística numa lista sobre o caso que vem sendo tratada de forma sensacionalista nas redes sociais como "BanestadoLeaks".

"Na realidade, este material já tem maioridade, já tem mais de 20 anos. E é surpreendente para mim como é que ele reapareceu, não entendi muito bem", disse o procurador Celso Três em entrevista ao jornalista Fabio Pannunzio, da TV Democracia

O fato de não haver novidade jornalística na chamada lista do Banestado não significa que o caso seja irrelevante. Como o juiz responsável por julgar o caso foi Sergio Moro, foi ali que ele testou os métodos posteriormente usados na ações judiciais da Lava Jato. 

Nessa terça-feira (25), a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) anulou a sentença de Moro que condenou o doleiro Paulo Roberto Krug por suposto esquema de fraude no caso Banestado

Assista à declaração do procurador Celso Três:


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email