Cinco PMs são afastados após morte de menino

A polícia afastou das ruas e recolheu as armas de cinco PMs da UPP do Caju, no Rio, envolvidos na morte do menino Herinaldo Vinícius da Santana, de 11 anos, atingido com um tiro na cabeça; eles prestaram depoimento na sede da Divisão de Homicídios (DH) da Capital e foram afastados das ruas pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP); os parentes do menino também prestaram depoimento; a PM determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o crime

A polícia afastou das ruas e recolheu as armas de cinco PMs da UPP do Caju, no Rio, envolvidos na morte do menino Herinaldo Vinícius da Santana, de 11 anos, atingido com um tiro na cabeça; eles prestaram depoimento na sede da Divisão de Homicídios (DH) da Capital e foram afastados das ruas pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP); os parentes do menino também prestaram depoimento; a PM determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o crime
A polícia afastou das ruas e recolheu as armas de cinco PMs da UPP do Caju, no Rio, envolvidos na morte do menino Herinaldo Vinícius da Santana, de 11 anos, atingido com um tiro na cabeça; eles prestaram depoimento na sede da Divisão de Homicídios (DH) da Capital e foram afastados das ruas pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP); os parentes do menino também prestaram depoimento; a PM determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o crime (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal do Brasil - A polícia afastou das ruas e recolheu as armas de cinco PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Caju, no Rio, envolvidos na morte do menino Herinaldo Vinícius da Santana, de 11 anos, atingido com um tiro na cabeça, na tarde de quarta-feira (23).

Eles prestaram depoimento na sede da Divisão de Homicídios (DH) da Capital e foram afastados das ruas pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). Os parentes do menino também prestaram depoimento.

A Polícia Militar determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o crime.

O corpo da criança está no Instituto Médico Legal e ainda não há informações sobre o sepultamento.

A Secretaria Municipal de Educação informou que 1.073 alunos de uma escola, duas creches e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) ficaram sem aula nesta manhã. De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, 135 alunos do Colégio Estadual Jornalista Maurício Azêdo também tiveram as aulas suspensas.

Segundo moradores, Herinaldo saiu correndo de um beco onde brincava para comprar uma bolinha de pingue-pongue quando foi atingido. A UPP do Caju informou que não havia operações na comunidade no momento em que a criança foi baleada.

O menino foi socorrido por moradores e levado pra Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré. A coordenação da unidade disse que Herinaldo chegou por volta das 16h, mas não resistiu aos ferimentos.

Em protesto, os moradores fecharam a pista lateral da Avenida Brasil, no sentido Zona Oeste, na altura de Benfica. As manifestações continuaram pela Linha Vermelha, no trecho do Caju, que também chegou a ser fechada. O trânsito ficou lento na região. A polícia reforçou o policiamento no local.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247