CNJ libera penduricalho aos juízes do Rio

O CNJ decidiu nesta terça-feira que o pagamento de adicional no salário aos juízes do Rio por audiências de custódia será retomado. Um dos votos favoráveis foi da presidente do Supremo e do colegiado, ministra Carmén Lúcia; o benefício garante R$ 9,6 mil aos juízes por mês e custa cerca de R$ 50 milhões ao ano para os cofres públicos, de acordo com valores enviados à Coluna do Estadão

O CNJ decidiu nesta terça-feira que o pagamento de adicional no salário aos juízes do Rio por audiências de custódia será retomado. Um dos votos favoráveis foi da presidente do Supremo e do colegiado, ministra Carmén Lúcia; o benefício garante R$ 9,6 mil aos juízes por mês e custa cerca de R$ 50 milhões ao ano para os cofres públicos, de acordo com valores enviados à Coluna do Estadão
O CNJ decidiu nesta terça-feira que o pagamento de adicional no salário aos juízes do Rio por audiências de custódia será retomado. Um dos votos favoráveis foi da presidente do Supremo e do colegiado, ministra Carmén Lúcia; o benefício garante R$ 9,6 mil aos juízes por mês e custa cerca de R$ 50 milhões ao ano para os cofres públicos, de acordo com valores enviados à Coluna do Estadão (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu nesta terça-feira (6) que o pagamento de adicional no salário aos juízes do Rio por audiências de custódia será retomado. Um dos votos favoráveis foi da presidente do Supremo e do colegiado, ministra Carmén Lúcia. O benefício garante R$ 9,6 mil aos juízes por mês e custa cerca de R$ 50 milhões ao ano para os cofres públicos, de acordo com valores enviados à Coluna do Estadão.

A audiência de custódia faz parte das atribuições dos juízes. Todo preso em flagrante deve ser levado à presença do juiz para que avalie a legalidade e a necessidade de manter a prisão.

Além de Cármen Lúcia, outros nove votaram a favor - apenas dois votaram contra.

Falta definir se o dinheiro ficará dentro do teto constitucional, sem gasto extra da folha ou fora do teto.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247