Coronavírus: Fiesp divulga documento com propostas de retomada da economia após quarentena

Em domingo de carreatas que pedem pela reabertura dos comércios no Brasil, empresários do estado de São Paulo avaliam documento da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo)

Números do IBGE sobre o desempenho da indústria confirmam a rápida recuperação da economia de Goiás após a crise nacional: o Estado liderou o crescimento industrial entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017, com alta de 3,7%, e alcançou o terceiro lugar no primeiro trimestre deste ano, com expansão de 4,9%; de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal, a indústria goiana teve o terceiro melhor desempenho no País no primeiro bimestre de 2017, com alta de 4,9%, em relação ao mesmo período do ano passado; pesquisa mostra que o crescimento de Goiás ficou bem acima da média nacional, que foi de 0,3%
Números do IBGE sobre o desempenho da indústria confirmam a rápida recuperação da economia de Goiás após a crise nacional: o Estado liderou o crescimento industrial entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017, com alta de 3,7%, e alcançou o terceiro lugar no primeiro trimestre deste ano, com expansão de 4,9%; de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal, a indústria goiana teve o terceiro melhor desempenho no País no primeiro bimestre de 2017, com alta de 4,9%, em relação ao mesmo período do ano passado; pesquisa mostra que o crescimento de Goiás ficou bem acima da média nacional, que foi de 0,3% (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo) lançou neste sábado (18) um documento com propostas para os empresários do estado, para quando cessar o período de quarentena no Brasil. A informação é do jornal Folha de São Paulo

As atividades não consideras essenciais, como o comércio, estão suspensas no estado de São Paulo até dia 10 de maio. João Dória não paralisou a indústria paulista. 

O documento da Fiesp circula entre empresários neste domingo (19), no momento em que várias carreatas ocorrem pelo país contra a quarentena e pedindo pela reabertura dos comércios.

No Brasil, foram registrados cerca de 37 mil casos confirmados da Covid-19, com 2.372 vítimas fatais da doença. A expectativa do FMI (Fundo Monetário Internacional) é de queda de 5,3% no PIB brasileiro e de 3% globalmente. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247