Covas diz que acionou controladoria para investigar distribuição de cestas básicas às vésperas da eleição

Bruno Covas negou que a distribuição das cestas simbolize compra de votos e afirmou que o ato faz parte de uma ação implementada pela prefeitura durante a pandemia

Coletiva de imprensa com Área do Governo e Área da Saúde em São Paulo 14 de agosto de 2020
Coletiva de imprensa com Área do Governo e Área da Saúde em São Paulo 14 de agosto de 2020 (Foto: Governo de São Paulo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O prefeito e candidato à reeleição pelo PSDB, Bruno Covas, afirmou nesta sexta-feira (27) que acionou a Controladoria Geral do Município para apurar a distribuição de cestas básicas às vésperas do segundo turno da eleição na capital paulista.

O evento foi interpretado como compra de votos a favor do atual prefeito.

O adversário de Covas, Guilherme Boulos (PSOL), disse que tomaria as "medidas cabíveis" acerca da denúncia e entrou na Justiça Eleitoral alegando abuso de poder político por parte do tucano.

Caso Bruno Covas seja condenado, a chapa do prefeito pode ser cassada.

Bruno Covas negou a compra de votos e disse que a iniciativa faz parte de um projeto implementado durante a pandemia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247