Crivella: não atuo como bispo evangélico na prefeitura

Sobrinho de Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), se diz um injustiçado pela imprensa. “Por quê? Sou um bispo evangélico.” O chefe do Executivo municipal voltou ter repercussão no noticiário internaiconal após enviar fiscais à Bienal do Livro para recolher "Vingadores - A Cruzada das Crianças", que mostra super-heróis homens se beijando

(Foto: Tomaz Silva - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Sobrinho de Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), se diz um injustiçado pela imprensa. “Por quê? Sou um bispo evangélico.”

O chefe do Executivo municipal voltou ter repercussão no noticiário internaiconal após enviar fiscais à Bienal do Livro na sexta (6) para recolher "Vingadores - A Cruzada das Crianças", que mostra super-heróis homens se beijando. O Supremo Tribunal Federal vetou a operação. 

Em entrevista à Folha de S.Paulo, uma semana depois, na sexta (13), ele disse que tomou a decisão não por causa do beijo, mas sim por diálogos que, a seu ver, ofenderiam o Estatuto da Criança e do Adolescente.

O prefeito afirmou que um dos mocinhos fala “rebolar o bumbum”, quando, na verdade, o diálogo no quadrinho traz “levantar o traseiro daí”, expressão como "vamos logo".

"Não foi censura porque há previsão em lei. Não eram apenas as imagens, haviam diálogos, e eles sugeriam relações afetivas, não importa se homossexuais ou heterossexuais. Houve denúncias de famílias que se sentiram ofendidas. Agora, o que a imprensa não notificou é que demos um prazo para que se colocasse esses livros dentro da embalagem prevista. No dia seguinte, voltamos lá e disseram que tinham vendido tudo".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247