Depoimento de ex-assessora revelou 'atuação da organização criminosa' no gabinete de Flávio Bolsonaro, diz MP

O depoimento de Luiza Sousa Paes, ex-assessora de Flávio Bolsonaro que admitiu repassar 90% do salário para Fabrício Queiroz, revelou "a atuação da organização criminosa" no gabinete

www.brasil247.com - Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz
Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz (Foto: Reprodução)


247 - De acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro, o depoimento de Luiza Sousa Paes, ex-assessora de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa teve o papel de esclarecer e revelar a atuação efetiva de uma organização criminosa.

Segundo investigadores, o depoimento foi uma "efetiva e espontânea colaboração, tendo resultado em esclarecimentos e revelações sobre a atuação da organização criminosa" no gabinete do filho "01" de Jair Bolsonaro, que tinha como operador o ex-assessor Fabrício Queiroz.

Luiza admitiu em depoimento que era funcionária fantasma no gabinente de Flávio e era obrigada a devolver mais de 90% do salário. Ela apresentou extratos bancários para comprovar que, entre 2011 e 2017, entregou por meio de depósitos e transferências cerca de R$ 160 mil para Fabrício Queiroz, ex-chefe da segurança de Flávio e apontado como operador do esquema de desvios de salários.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com reportagem do jornal O Globo, Luiza relatou ainda que conheceu outras pessoas que viviam situação semelhante a dela. Citou as duas filhas mais velhas de Fabrício Queiroz, Nathália e Evelyn, e Sheila Vasconcellos, amiga da família do policial. Os dados financeiros das três, obtidos na investigação, já identificavam que elas tinham devolvido para Queiroz R$ 878,4 mil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A funcionária fantasma disse ainda que participou de uma reunião com Frederick Wassef, ex-advogado do senador Flávio Bolsonaro, em um hotel na Barra da Tijuca em dezembro de 2018. A reunião ocorreu no mesmo dia em que ela tinha sido chamada para prestar esclarecimentos na investigação. Segundo Luiza, ela foi orientada por advogados próximos a Flávio a não atender a convocação do MP, na época.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email