Dornelles: frota da polícia pode parar

Governador do Rio em exercício, Francisco Dornelles, disse que, se a ajuda federal de R$ 2,9 bilhões não chegar até o fim da semana, a frota da polícia pode parar; verba seria o suficiente para arcar com os custos da pasta de segurança por três meses; “A segurança é prioritária, temos que cobrir os problemas da área. A frota da polícia corre o risco de parar. Conseguimos fazer uma ginástica financeira e só aguentaremos até o fim da semana”, disse

Governador do Rio em exercício, Francisco Dornelles, disse que, se a ajuda federal de R$ 2,9 bilhões não chegar até o fim da semana, a frota da polícia pode parar; verba seria o suficiente para arcar com os custos da pasta de segurança por três meses; “A segurança é prioritária, temos que cobrir os problemas da área. A frota da polícia corre o risco de parar. Conseguimos fazer uma ginástica financeira e só aguentaremos até o fim da semana”, disse
Governador do Rio em exercício, Francisco Dornelles, disse que, se a ajuda federal de R$ 2,9 bilhões não chegar até o fim da semana, a frota da polícia pode parar; verba seria o suficiente para arcar com os custos da pasta de segurança por três meses; “A segurança é prioritária, temos que cobrir os problemas da área. A frota da polícia corre o risco de parar. Conseguimos fazer uma ginástica financeira e só aguentaremos até o fim da semana”, disse (Foto: Roberta Namour)

247 - O governador do Rio em exercício, Francisco Dornelles, disse que, se a ajuda federal de R$ 2,9 bilhões não chegar até o fim da semana, a frota da polícia pode parar.

Ele ressalta, no entanto, que o crédito extraordinário da União destinado à segurança pública para a Olimpíada sairá até quinta. Verba seria o suficiente para arcar com os custos da pasta por três meses. Hoje, a segurança do estado consome R$ 940 milhões por mês.

“A segurança é prioritária, temos que cobrir os problemas da área. A frota da polícia corre o risco de parar. Conseguimos fazer uma ginástica financeira e só aguentaremos até o fim da semana”, disse, em entrevista ao Globo.

Ele se diz otimista com relação aos Jogos: “mas tenho que mostrar a realidade. Podemos fazer uma grande Olimpíada, mas se algumas medidas não forem tomadas, pode ser um grande fracasso. Tenho dito que, sem segurança e sem metrô, haverá dificuldades. Como é que as pessoas vão chegar aos locais de competições sem metrô? Como é que as pessoas vão se sentir protegidas na cidade sem segurança? Temos que dar a demonstração de que estamos equipando a segurança e com a mobilidade pronta para que as pessoas venham ao país”.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247