Eduardo Paes nunca pediu propina, diz delator

Marqueteiro Renato Pereira disse em sua delação premiada que o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB) apesar de ter autorizado pagamento de propina por meio de nunca fez pedido para receber propinas. "Não, em nenhuma licitação, nenhuma tomada de preço, nenhum processo que a gente tenha participado ou que qualquer fornecedor ligado a gente tenha participado, seja a Casa de Tal ou a Fulano Filmes, jamais houve pedido de valor pela prefeitura ou por qualquer pessoa ligada à prefeitura", contou

Rio de Janeiro - Coletiva de imprensa com o prefeito Eduardo Paes, para falar sobre o vazamento da conversa entre ele e o ex-presidente Lula (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - Coletiva de imprensa com o prefeito Eduardo Paes, para falar sobre o vazamento da conversa entre ele e o ex-presidente Lula (Tânia Rêgo/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O marqueteiro Renato Pereira disse em sua delação premiada que o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB) apesar de ter autorizado pagamento de propina por meio de nunca fez pedido para receber propinas.

"Não, em nenhuma licitação, nenhuma tomada de preço, nenhum processo que a gente tenha participado ou que qualquer fornecedor ligado a gente tenha participado, seja a Casa de Tal ou a Fulano Filmes, jamais houve pedido de valor pela prefeitura ou por qualquer pessoa ligada à prefeitura", contou.

A afirmação é considerada estratégica pela defesa de Paes, uma vez que isso o distancia das acusações de outros políticos fluminenses que são suspeitos de receber propinas, como o ex-governador Sergio Cabral e o presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani. Neste caso, Paes aparece apenas como tendo se beneficiado de caixa 2 para abastecer campanhas eleitorais.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247