Em apoio a professores, alunos ocupam 14 escolas

Como forma de apoio aos professores, em greve há 34 dias, e também por conta da situação das escolas públicas estaduais, os estudantes do Rio ocupam até o momento 14 unidades de ensino, segundo a Secretaria de Educação; eles fazem uma série de reivindicações por melhorias; a Secretaria diz que recebeu alunos de escolas ocupadas e líderes do Sindicato dos Professores e informou que ficou acertado que, após a suspensão do movimento, medidas serão tomadas para que os alunos participem das decisões

Como forma de apoio aos professores, em greve há 34 dias, e também por conta da situação das escolas públicas estaduais, os estudantes do Rio ocupam até o momento 14 unidades de ensino, segundo a Secretaria de Educação; eles fazem uma série de reivindicações por melhorias; a Secretaria diz que recebeu alunos de escolas ocupadas e líderes do Sindicato dos Professores e informou que ficou acertado que, após a suspensão do movimento, medidas serão tomadas para que os alunos participem das decisões
Como forma de apoio aos professores, em greve há 34 dias, e também por conta da situação das escolas públicas estaduais, os estudantes do Rio ocupam até o momento 14 unidades de ensino, segundo a Secretaria de Educação; eles fazem uma série de reivindicações por melhorias; a Secretaria diz que recebeu alunos de escolas ocupadas e líderes do Sindicato dos Professores e informou que ficou acertado que, após a suspensão do movimento, medidas serão tomadas para que os alunos participem das decisões (Foto: Voney Malta)

Rio 247 – No mapa da crise econômica brasileira, um dos estados mais atingidos é o Rio do Janeiro, especialmente pela queda do preço do petróleo e a situação da Petrobras. Por conta disso, diversas categorias do funcionalismo público optaram pela greve por causa do atraso no pagamento dos salários, como é o caso dos profissionais da educação.

Em apoio aos professores, os estudantes das escolas estaduais começaram a ocupar escolas com uma série de reivindicações. Com a última tomada nesta sexta-feira (8), a Escola Chico Anysio, o número de ocupações chega a 14. E dois dias antes, na quinta-feira, outras duas haviam sido ocupadas.

Além da reivindicação dos estudantes por melhores condições de ensino, eles também defendem a greve dos professores, que já duram 34 dias. Mas o caos nas finanças do Rio de janeiro também expõe muitas outras deficiências nas escolas ocupadas, como é o caso da Visconde de Cairu, no Méier, com cerca de 3 mil alunos. Eles reivindicam reformas nos espaços pedagógicos, novos aparelhos de ar-condicionado nas salas e que nenhuma turma tenha mais do que 35 alunos – segundo os estudantes algumas classes têm mais de 60 alunos.

Através de nota a Secretaria de Estado de Educação diz que recebeu alunos de escolas ocupadas e líderes do Sindicato dos professores para ouvir reivindicações e que ficou acertado que, após a suspensão do movimento medidas serão tomadas para que os estudantes participem das decisões escolares.

Com relação à infraestrutura, uma equipe irá visitar as escolas para fazer as correções necessárias, entre outras medidas.

Leia abaixo a lista de colégios ocupados:
Prefeito Mendes de Moraes (2.300 alunos)
Gomes Freire de Andrade (1.600 alunos)
CE Heitor Lira (850 alunos)
CE Visconde de Cairu (2.300 alunos)
CE Euclydes Paulo da Silva (490)
CE Dr. João Nery (350 alunos)
CE Matias Neto (1.700 alunos)
CE Clóvis Monteiro (1.700 alunos)
CE Irineu Marinho (560 alunos)
CE Stuart Edgar Angel Jones (1380 alunos)
Instituto de Educação Professor Ismael Coutinho – IEPIC (cerca de 1.000 alunos)
C.E. Doutor Francisco de Paula Paranhos (820 alunos)
CE Compositor Luiz Carlos da Vila (1.117 alunos)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247